10:23 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Cometa (imagem ilustrativa)

    Próximo a Júpiter, cientistas encontram portal de entrada de cometas no Sistema Solar

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 111
    Nos siga no

    Cientistas observam cometas há muitos anos, mas nunca conseguiram identificar as suas rotas antes de entrarem no Sistema Solar. Pesquisadores da Universidade do Arizona acabam de identificar o "portal de entrada" de cometas na nossa vizinhança cósmica.

    Cientistas nutrem grande interesse pelo estudo de cometas, uma vez que essas belas formações cósmicas podem trazer consigo material remanescente dos primeiros anos de vida do nosso Sistema Solar.

    Mas, apesar da importância simbólica e científica dos objetos, os cientistas nunca identificaram a rota que os cometas seguem para entrar na nossa vizinhança.

    Em um estudo inédito, cientistas da Universidade do Arizona descobriram uma região orbital para além de Júpiter pela qual os cometas entram no Sistema Solar.

    Grande Mancha Vermelha de Júpiter
    Grande Mancha Vermelha de Júpiter

    Esse "portal de cometas" consiste em uma órbita que concentra objetos de gelo chamados “centauros”, provenientes da região dos planetas gigantes – Júpiter, Saturno, Urânio e Netuno.

    O portal traz esses objetos para a região central do Sistema Solar, e assim eles se tornam visíveis da Terra.

    Centauros transformam-se em Cometas da Família Júpiter

    Acredita-se que os centauros tenham origem no cinturão de Kuiper, região habitada por objetos de gelo que fica próxima a Netuno.

    Quando um centauro se aproxima de Netuno, o planeta gigante o empurra para uma trajetória rumo ao interior do Sistema Solar.

    Cometa 21P gravado no momento exato de sua aproximação máxima do Sol nos últimos 72 anos (imagem referencial)
    Cometa 21P gravado no momento exato de sua aproximação máxima do Sol nos últimos 72 anos (imagem referencial)

    Com este impacto, o centauro se transforma em um cometa da família de Júpiter, ou JFC, na sigla em inglês.

    "A natureza caótica das suas órbitas faz com que seja difícil especificar a rota exata que esses centauros seguem antes de se transformar em JFCs", disse uma das pesquisadoras da equipe, Kathryn Volk. "Isso torna difícil descobrir de onde eles vieram exatamente e para onde poderiam ir no futuro", explicou.

    Cientistas estimaram que a população total de cometas da família Júpiter na região do portal seja de 1.000 objetos. A estimativa é baseada em cálculos do tamanho dos objetos entrando, permanecendo e saindo do portal. Destes mil, os cientistas já identificaram 500 objetos.

    Os centauros que entram na região do portal passam por transformações intensas, e a probabilidade de se transformarem em um cometa da família Júpiter é muito grande, o que sugere que a região seja muito ativa, cosmicamente falando.

    Cometa Lovejoy na foto tirada em 22 de decembro, 2011 no Chile
    © AFP 2019 / ESO/ GUILLAUME BLANCHARD
    Cometa Lovejoy na foto tirada em 22 de decembro, 2011 no Chile

    A transformação de um centauro em cometa da família Júpiter em um ambiente agitado como o portal leva somente alguns milhares de anos, o que é um piscar de olhos para os padrões do Sistema Solar.

    O estudo do Laboratório Lunar e Planetário da Universidade do Arizona foi publicado nesta semana pela revista Astrophysical Journal Letters.

    Mais:

    Asteroide enigmático muda de cor e age como cometa surpreendendo pesquisadores
    Cometa misterioso se aproxima de Marte
    Telescópio Hubble capta 1º cometa interestelar confirmado em VÍDEOS
    Tags:
    alfa centauro, Júpiter, Sistema Solar, cometa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar