16:24 24 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    3204
    Nos siga no

    Visando estabelecer uma maior aproximação com os EUA e ganhar foco como liderança na América Latina em questões ambientais, Buenos Aires preenche espaço deixado por Brasília e conduz reunião virtual sobre clima da ONU.

    Nesta quarta-feira (8), a Argentina será a anfitriã de uma prévia da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (UNFCCC, na sigla em inglês) que, entre 31 de outubro e 12 de novembro, reunirá os líderes mundiais em Glasgow, na Escócia.

    Entretanto, o Brasil, representando pelo presidente Jair Bolsonaro, não estará presente. A lacuna vazia deixada por Brasília e ocupada pelo presidente da Argentina, Alberto Fernández, beneficia a estratégia do mandatário de ganhar mais protagonismo como líder da região em questões ambientais e pode aproximar Buenos Aires de Washington, segundo o portal UOL.

    "A Argentina quer ocupar esse vácuo que o Brasil deixou. Com um bom olfato político, Fernández aproveita os foros internacionais para se posicionar", explicou o analista internacional argentino Raúl Aragón citado pela mídia.

    Fernández vai conduzir a reunião virtual, intitulada "Diálogo de Alto Nível sobre Ação Climática nas Américas", no Museu do Bicentenário da Casa Rosada, sede do governo argentino.

    Segundo a mídia, o encontro tem como objetivo "promover o diálogo para enfatizar a urgência de uma ação climática nas Américas, para impulsionar a arquitetura de mecanismos inovadores na implementação de ações e para incentivar a cooperação no continente".

    Presidente da Argentina, Alberto Fernández, observa durante a sessão da 138ª legislatura do Congresso Nacional em Buenos Aires, Argentina (foto de arquivo)
    © REUTERS / Agustin Marcarian
    Presidente da Argentina, Alberto Fernández, observa durante a sessão da 138ª legislatura do Congresso Nacional em Buenos Aires, Argentina (foto de arquivo)

    No entanto, há dúvidas de até que ponto a iniciativa de Fernández de promover essa reunião tem como intenção apenas a questão ambiental. De acordo com o portal, Buenos Aires procura aprofundar o seu diálogo com Washington no contexto da sua necessidade de um acordo financeiro com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

    "A pergunta é até que ponto a agenda ambiental de Fernández é genuína ou é apenas parte de uma estratégia de política internacional", questionou o cientista político Carlos Meléndez, da Universidade Diego Portales do Chile citado pela mídia.

    Se o ex-presidente Donald Trump representava distância para o governo argentino, Joe Biden oferece uma chance de aproximação, exatamente o contrário do que representa para o Brasil.

    Trump é uma das figuras reverenciadas por Bolsonaro, e durante sua gestão, teve forte influência na política brasileira. O não comparecimento do chefe do Executivo brasileiro na reunião virtual de hoje (8), é a mais visível, mas também a mais previsível, diante das diretrizes que Bolsonaro segue durante sua gestão na questão ambiental.

    Mais:

    Na véspera de manifestações, Bolsonaro assina MP que limita eliminação de conteúdo das redes sociais
    Polícia Federal investiga jogadores argentinos por declarações sanitárias falsas
    Analista: Brasil terá perdas ‘pesadas’ e Argentina se beneficiará se embargo chinês de carne durar
    Tags:
    Argentina, Bolsonaro, Alberto Fernández, ONU, clima global
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar