22:28 10 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Situação da COVID-19 em meados de abril no Brasil (74)
    7528
    Nos siga no

    A Controladoria Geral da União (CGU) afirmou nesta terça-feira (20) que o presidente Jair Bolsonaro gastou R$ 2,3 milhões, mas não estava de férias entre 18 de dezembro e 5 de janeiro, quando viajou para São Paulo e Santa Catarina.

    Para justificar o que chamou de gastos "fora do local costumeiro", a CGU garante que o presidente "trabalhou enquanto esteve na praia". Os esclarecimentos sobre a viagem de fim de ano foram prestados na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados.

    A CGU, entidade de controle do governo Federal responsável por realizar atividades relacionadas à defesa do patrimônio público, disse que Jair Bolsonaro não passou o comando do país ao vice-presidente Hamilton Mourão, e trabalhou normalmente durante o período que deixou o Planalto.

    "O presidente da República despachou diariamente com todos os seus ministros e assessores e também só nesse período assinou: um decreto, sete medidas provisórias e também seis projetos de lei. Então, só por aí a gente entende que o presidente da República não estava de férias, ele estava a trabalho fora do local costumeiro, onde ele realiza as suas atividades", sustenta a CGU.

    Vale lembrar que diversos deputados questionaram os gastos de Jair Bolsonaro após o anúncio de que suas "férias" teriam custado aos cofres públicos cerca de R$ 2,3 milhões entre os dias 18 de dezembro e 5 de janeiro.

    O deputado Kim Kataguiri questionou a justificativa da CGU, afirmando que o presidente "não anda com uma medida provisória a tiracolo". "Viagem ao Guarujá durante o Ano Novo não é pra despachar, me desculpe senhor ministro, mas é férias", observou o parlamentar.

    A CGU respondeu que quem não estivesse satisfeito com a explicação, que tentasse aprovar uma lei no Congresso "proibindo" o presidente de sair do Palácio do Planalto. Ele ainda relatou que, no cartão corporativo, 70% dos gastos foram com hospedagem, porque com a pandemia da COVID-19, os seguranças ficaram em quartos separados.

    Presidente da República Jair Bolsonaro posa para fotografia no canal de transposição do Rio São Francisco
    © Foto / Agência Brasil / Alan Santos / PR
    Presidente da República Jair Bolsonaro posa para fotografia no canal de transposição do Rio São Francisco

    Tema:
    Situação da COVID-19 em meados de abril no Brasil (74)

    Mais:

    Pesquisador: Bolsonaro busca 'benefício da dúvida', enquanto EUA querem ver Brasil baixar o tom
    Às vésperas da Cúpula do Clima, Bolsonaro faz promessas 'mentirosas' aos EUA, diz especialista
    Flávio Bolsonaro sofre luxação no ombro em acidente de quadriciclo em praia do Ceará
    Em debate, Ciro, Haddad, Doria, Leite e Huck não poupam críticas a Bolsonaro
    Tags:
    Brasil, férias, praia, Jair Bolsonaro, CGU, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar