03:53 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    069
    Nos siga no

    Efeitos das políticas adotadas por Paulo Guedes no Ministério da Economia mostram força: emissões de ações chegam a R$ 33 bilhões e podem atingir o recorde de R$ 200 bilhões no ano.

    Fuga da capital estrangeiro? As emissões de ações bateram recorde neste início de ano no Brasil. Nos primeiros 45 dias de 2021, 13 empresas fizeram sua abertura de capital (IPO, na sigla em inglês) na B3, a bolsa paulista.

    Somando essas operações às emissões de ações de empresas que já estão na Bolsa, o volume movimentado chega a R$ 33 bilhões, escreve o jornal Estado de São Paulo citando, entre algumas razões para o fato, o apetite maior do investidor brasileiro por mais risco (um reflexo direto dos juros baixos) e a volta dos estrangeiros à Bolsa.

    Investidores lotaram o saguão da Bolsa de Valores de São Paulo para participar do leilão de 20 lotes de linhas de transmissão em 2018
    Investidores lotam o saguão da Bolsa de Valores de São Paulo para participar do leilão de 20 lotes de linhas de transmissão em 2018
    Esse volume já é mais de cinco vezes maior do que o registrado no primeiro bimestre de 2007, último grande ano de oferta de ações no Brasil. Por conta disso, instituições financeiras já começam a revisar - e para cima - suas projeções de ofertas de ações para o ano.

    Há quem aponte um volume de mais de R$ 200 bilhões para 2021, ante uma projeção média anterior de R$ 150 bilhões. As projeções dos bancos consideram, além das ofertas iniciais de ações (os IPOs), as ofertas de ações conduzidas pelas empresas já listadas.

    Em 2020, o volume financeiro de todas as operações no Brasil somou R$ 117 bilhões. Nos primeiros 45 dias de 2021, 13 empresas fizeram sua abertura de capital na Bolsa brasileira. Ou seja, em poucas semanas, o volume de ofertas de ações já bateu um quarto do volume total movimentado no ano passado.

    Os números podem ainda ganhar um reforço caso a Caixa Econômica Federal cumpra a promessa de levar suas subsidiárias à B3, explica a publicação.

    Capital estrangeiro

    No ano, a Bolsa brasileira já recebeu a entrada líquida de R$ 25 bilhões de recursos estrangeiros, mantendo um movimento positivo que vem sendo observado desde outubro do ano passado.

    As novatas na Bolsa de São Paulo neste começo de ano são: a CSN Mineração; a Westwing; a Espaçolaser; Intelbras; Eletromidia; Mobly; Cruzeiro do Sul; Orizon; Jalles Machado; Bemobi; OceanPact; Focus Energia; Mosaico.

    Gráfico das flutuações dos índices de mercado no pregão da BM & F Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo.
    © Folhapress / Diego Padgurschi
    Gráfico das flutuações dos índices de mercado no pregão da BM & F Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo.

    Mais:

    Brasil: imposto sobre fortunas entra em debate na Câmara, mas é rejeitado por Guedes
    Paulo Guedes fala em nova rodada de auxílio emergencial para 32 milhões de pessoas
    Guedes diz que orientação de Bolsonaro é 'tirar Estado do povo brasileiro'
    Arthur Lira pressiona Guedes por auxílio: ministro precisa encontrar 'alternativa imediata'
    Tags:
    Bolsa de Valores, Paulo Guedes, Brasil, economia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar