23:57 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    3134
    Nos siga no

    As bolsas de Paris, Frankfurt, Londres, Madri e Zurique estão em queda acentuada devido à propagação da epidemia do coronavírus e dos efeitos que poderia causar na economia mundial.

    Foi uma segunda-feira negra para o mercado bolsista mundial, com o pânico a propagar-se à escala mundial.

    Em informação prestada pela Agência France Press, as bolsas de Paris, Frankfurt, Londres, Madri e Zurique desabaram entre 3,3% e 4,1%.

    Na Itália, um país particularmente afetado pelo coronavírus, a bolsa de Milão afundou mais de 5,4%.

    As empresas relacionadas com bens de luxo e a indústria automóvel foram os segmentos econômicos mais afetados por esta onda de incerteza.

    Na Ásia, a situação também é preocupante. As bolsas chinesas terminaram a sessão de 24 de fevereiro em queda: Hong Kong -1,8%, Xangai -0,3%, Seul -3,9% , adianta a Agência France Press.

    Em Nova York, o índice Nasdaq desabou 3,7%.

    A bolsa de Tóquio também abriu hoje com tendência negativa. O seu índice Nikkei estava em queda 3,34%.

    Para o corretor Tangi Le Liboux, da empresa Aurel BGC, citado pelo portal Boursorama, "a epidemia do coronavírus está se espalhando fora da China, para países como a Coreia do Sul, Itália ou Irã, o que poderia causar enormes ruturas nas cadeias de abastecimento globais, se mais e mais medidas de contenção e confinamento forem tomadas", explica.

    Tem havido um número crescente de casos fora da China, particularmente na Coreia do Sul, com mais de 700 novas infecções em menos de uma semana.

    Retoma da economia mundial estará em perigo?

    Em uma reunião do G20 na Arábia Saudita, a diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, citada pelo jornal britânico The Telegraph, manifestou o receio de que a epidemia de Covid-19 possa comprometer a retoma da economia mundial.

    O G20 prometeu medidas para lidar com o fenômeno, "mas desta vez, os mercados não poderão contar com as expectativas de novas medidas dos bancos centrais para atenuar o impacto", alertou Tangi Le Liboux.

    Vincent Boy, analista da IG France, citado pelo jornal francês Ouest-France, é da opinião que os resultados das empresas do primeiro trimestre de 2020 refletirão já os efeitos das turbulências causadas pela epidemia.

    Todos os próximos dados estatísticos sobre o comportamento da economia chinesa, os números do Produto Interno Bruto da Alemanha e os da Confiança do Consumidor norte-americano, a anunciar esta terça-feira, bem como os do PIB dos EUA, no dia 27, estão sendo aguardados pelos mercados com grande expectativa.

    Mais:

    Quem tem medo do coronavírus no carnaval? (VÍDEO)
    Governo brasileiro dobra número de países para alerta por suspeita de coronavírus
    Trump vai pedir US$ 1 bilhão ao Congresso dos EUA para tratar do coronavírus, diz jornal
    Tags:
    FMI, crise econômica, economia, Bolsa de Valores
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar