21:33 25 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)
    0 260
    Nos siga no

    Farmacêutica brasileira anunciou na noite desta sexta-feira (15) que enviou à Anvisa pedido para uso emergencial da vacina russa Sputnik V.

    O laboratório informou que a solicitação foi protocolada na Agência Nacional de Vigilância Sanitária em conjunto com o Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo). 

    A União Química fez um pedido de dez milhões de doses da Sputnik V. Segundo a farmacêutica, o lote será totalmente entregue até o final do primeiro trimestre de 2021. 

    O acordo prevê a transferência de tecnologia. O imunizante contra o coronavírus será produzido no Brasil em fábricas do laboratório em Brasília e Guarulhos. Se a Anvisa seguir compromisso firmado sobre análise de pedidos de uso emergencial, o aval para o registro do imunizante deverá sair em até 10 dias.

    "A União Química entende que com o avanço da pandemia no Brasil e no mundo, todos os esforços, seja do setor público ou do setor privado, deverão ser empenhados de forma a combater a pandemia da COVID-19, inclusive com ações extraordinárias e excepcionais em razão da urgência e relevância que o momento exige", diz um trecho da nota da empresa.

    Entregas ainda em janeiro

    No dia 29 de dezembro, a União Química submeteu o pedido para a realização de testes clínicos da fase 3 no Brasil à Anvisa.

    Na quarta-feira (13), o Fundo Russo de Investimentos Diretos havia informado que dez milhões de doses da vacina Sputnik V contra COVID-19 seriam disponibilizadas ao Brasil no primeiro trimestre deste ano.

    De acordo com a entidade, as primeiras entregas do imunizante serão feitas ainda em janeiro. Até o fim de 2021, 150 milhões de doses da vacina serão disponibilizadas ao Brasil. O acordo foi assinado após reunião entre Kirill Dmitriev, diretor-geral do RFPI, e Fernando de Castro Marques, presidente da União Química.

    Desenvolvida pelo Centro de Pesquisas Gamaleya, em Moscou, a Sputnik V tem eficácia de mais de 90%, com proteção total contra casos graves da COVID-19. ​O uso emergencial da vacina foi aprovado em vários países, incluindo Argentina, Paraguai, Bolívia, Venezuela, Argélia, Sérvia e Palestina.

    Bahia vai à Justiça para ter vacina

    Nesta sexta-feira (15), o governador da Bahia, Rui Costa (PT), anunciou que vai acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) para garantir a compra direta de doses da vacina russa. 

    Por meio das redes sociais, o governador disse que pretende comprar 50 milhões de doses da Sputnik V.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)

    Mais:

    Página da vacina Sputnik V fica temporariamente restrita no Twitter por quebra de segurança dos EUA
    Venezuela firma acordo com a Rússia e vai produzir a Sputnik V
    Avião decola de Buenos Aires rumo a Moscou para buscar 2º carregamento da Sputnik V
    Tags:
    Anvisa, Sputnik V, Rússia, vacina, Brasil, COVID-19, pandemia, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar