09:56 28 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)
    7581
    Nos siga no

    O Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo) informou nesta quarta-feira (13) que dez milhões de doses da vacina Sputnik V contra COVID-19 serão disponibilizadas ao Brasil no primeiro trimestre deste ano.

    As primeiras entregas do imunizante serão feitas ainda em janeiro. Até o fim de 2021, 150 milhões de doses do imunizante serão entregues ao Brasil.

    O acordo foi firmado após uma reunião entre Kirill Dmitriev, diretor-geral do RFPI, com Fernando de Castro Marques, presidente da farmacêutica brasileira União Química.

    Como parte da parceria com a União Química, o RFPI vai facilitar a importação de tecnologia da Sputnik V para o Brasil, incluindo fornecimento de documentos e biomateriais. A produção local da Sputnik V no Brasil foi iniciada em janeiro.

    Além disso, o RFPI e a União Química vão solicitar ainda nesta semana a autorização de uso emergencial da Sputnik V à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

    ​O RFPI vai fornecer dez milhões de doses da vacina Sputnik V ao Brasil no primeiro trimestre de 2021. As primeiras entregas começarão já em janeiro. Delegação da União Química do Brasil chefiada pelo Presidente Fernando De Castro Marques se reuniu hoje com o diretor-geral do RFPI, Kirill Dmitriev.

    Um grupo de cerca de 20 brasileiros que trabalham na embaixada da Rússia no Brasil já está sendo vacinado com a Sputnik V. As informações foram publicadas no site do próprio RFPI.

    "Nossos parceiros da União Química foram um dos primeiros no mundo a se interessar pela vacina russa Sputnik V. Por nossa parte, estamos prontos para uma cooperação em larga escala no fornecimento e na produção para iniciar a vacinação da população no Brasil o mais rápido possível", destacou Kirill Dmitriev.

    ​O uso emergencial da Sputnik V foi aprovado em vários países, incluindo Argentina, Bolívia, Argélia, Sérvia e Palestina.

    "A Sputnik V é uma vacina segura e eficaz criada em uma plataforma comprovada e bem pesquisada de vetores adenovirais humanos. Vários países da América Latina já estão vacinando pessoas com a Sputnik V e esperamos que o Brasil se junte a eles nas próximas semanas", completou Dmitriev.

    O RFPI e a União Química também informaram que vão propôr aos países do BRICS para que seja criada uma força-tarefa para combater a COVID-19 e realizar cooperação em vacinas.

    No dia 29 de dezembro, a União Química submeteu o pedido para a realização de testes clínicos da fase 3 no Brasil à Anvisa.

    Mais de 1,5 milhão de pessoas já foram vacinadas com a Sputnik V no mundo até esta quarta-feira (13). A eficácia da Sputnik V é superior a 90%, com proteção total contra casos graves de COVID-19.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil em meados de janeiro de 2021 (97)

    Mais:

    Bolívia registra a vacina russa Sputnik V
    Argélia se torna 1º país africano a registrar a vacina Sputnik V
    Sputnik V e Sputnik Light: médico russo explica diferença entre vacinas
    Cosmonautas russos recebem doses da Sputnik V antes de missão para EEI
    México corre para autorizar uso da Sputnik V
    Tags:
    Brasil, pandemia, imunizante, imunização, imunidade, vacinação, vacina, novo coronavírus, Sputnik V, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar