01:06 17 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil luta contra COVID-19 no final de dezembro (60)
    120
    Nos siga no

    A farmacêutica AstraZeneca disse que está trabalhando de forma eficiente e transparente para trazer sua vacina ao Brasil o mais rápido possível.

    A empresa acrescentou que continua empenhada em buscar a aprovação regulatória total no país, após a autorização no Reino Unido, segundo publicou a Reuters.

    Nesta quarta-feira (30), o Reino Unido se tornou o primeiro país do mundo a aprovar a vacina contra o coronavírus desenvolvida pela Oxford University e AstraZeneca. A aprovação do país europeu dá esperança ao Brasil, que fez da barata e robusta vacina britânica a pedra angular de seu plano de imunização, o qual é amplamente criticado.

    ​Em comunicado nesta quarta-feira (30), a AstraZeneca disse que manteria a apresentação contínua dos resultados dos testes em estágio final, mas não fez menção de buscar a aprovação para uso emergencial — um processo que a Pfizer descreveu como complicado no Brasil.

    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alterou nesta terça-feira (29) as exigências para a análise e a aprovação da vacinação emergencial contra a COVID-19 no Brasil.

    Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
    © Foto / Marcelo Camargo/Agência Brasil
    Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

    De acordo com uma nota divulgada pela agência reguladora brasileira, os laboratórios não precisarão mais informar o cronograma de disponibilização de doses para o país, nem a quantidade total que estaria disponível, bastando informar apenas uma previsão.

    Tema:
    Brasil luta contra COVID-19 no final de dezembro (60)

    Mais:

    Vacina de Oxford tem 'proteção de 100%' contra formas graves de COVID-19, garante CEO da AstraZeneca
    Centro Gamaleya: vacinação combinada da Sputnik V com AstraZeneca gerará imunidade por 2 anos
    Reino Unido é o 1º país a autorizar vacina contra SARS-CoV-2 da AstraZeneca
    Tags:
    COVID-19, Anvisa, vacina, pandemia, saúde, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar