02:29 09 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    Depois de começar a imunização contra a COVID-19 com a vacina da Pfizer/BioNTech em 8 de dezembro, o país planeja iniciar o mesmo processo com a vacina da AstraZeneca em 4 de janeiro de 2021.

    Os reguladores do Reino Unido permitiram o uso da vacina contra o novo coronavírus da farmacêutica AstraZeneca, segundo a assessoria de imprensa do governo britânico.

    O secretário de Saúde britânico, Matt Hancock, considerou a autorização do uso da vacina da AstraZeneca um "momento de esperança".

    Brilhante terminar 2020 com tal momento de esperança: a vacina contra o coronavírus da Universidade de Oxford/AstraZeneca foi hoje (30) autorizada para uso pelo governo do Reino Unido

    A vacina contra coronavírus é nossa saída da pandemia. Agora precisamos manter a coragem enquanto passamos por isto juntos.

    O premiê britânico, Boris Johnson, também parabenizou a aprovação da segunda vacina.

    É uma notícia verdadeiramente fantástica, e um triunfo para a ciência britânica, que a vacina da Universidade de Oxford/AstraZeneca foi aprovada para uso.

    Agora vamos avançar para vacinar o maior número de pessoas o mais rápido possível.

    Trata-se do primeiro país no mundo a aceitar a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, Reino Unido. Além de estar em uma segunda onda de disseminação do vírus, como muitos outros países, a nação europeia também está enfrentando uma nova estirpe do SARS-CoV-2, que pode ser altamente contagiante.

    De acordo com um comunicado de 23 de novembro da farmacêutica, a eficácia total da vacina é de 70,4%, de 62% para participantes que receberam duas doses nos testes clínicos, e de 90% para um pequeno subgrupo que recebeu metade de uma dose, e depois uma dose inteira.

    De acordo com a farmacêutica, as vacinações começarão na segunda-feira (4). Hancock anunciou que o Serviço de Saúde Nacional entregará a vacina o mais rápido que puder ser produzida. Um acordo feito com o governo prevê fornecer até 100 milhões de doses, incluindo milhões durante o primeiro trimestre de 2021.

    A autorização dada recomenda administrar duas doses da vacina, com um intervalo de 4 a 12 semanas entre elas. Apesar de tudo, a AstraZeneca continua recolhendo mais dados de segurança e eficácia dos ensaios clínicos da vacina.

    Além de seus esforços no Reino Unido, a empresa procura uso emergencial em países de baixa e média rendas, e vender até três bilhões de doses globalmente durante 2021.

    Em 8 de dezembro, Reino Unido iniciou a vacinação com a vacina da Pfizer/BioNTech.

    Mais:

    Fiocruz: vacina da AstraZeneca começará a ser entregue em fevereiro no Brasil
    Reino Unido fez lobby com Bolsonaro antes de ele ser eleito presidente, revela jornalista
    COVID-19: iniciam testes clínicos de vacina conjunta do Centro Gamaleya e da AstraZeneca
    Tags:
    Twitter, Matt Hancock, Boris Johnson, Universidade de Oxford, COVID-19, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar