04:33 26 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil no fim de setembro (25)
    111
    Nos siga no

    O presidente brasileiro Jair Bolsonaro deve usar pela segunda vez a 75ª Assembleia Geral da ONU, na qual discursará nesta terça-feira (22), para defender as ações do seu governo, rebatendo assim as frequentes críticas que vem recebendo fora do Brasil.

    Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, o discurso que Bolsonaro gravou para a abertura do encontro – é tradição o presidente do Brasil dar início à assembleia – trará como linha central uma suposta perseguição que a sua gestão estaria sofrendo mundo afora.

    A publicação teve acesso a um texto preliminar com diretrizes para o pronunciamento de Bolsonaro na ONU, no qual o líder brasileiro exaltará a indicação do seu vice, Antonio Hamilton Mourão, para coordenar os esforços ambientais tanto na Amazônia quanto no Pantanal.

    A esfera ambiental tem sido a que mais gera pressões internacionais contra Bolsonaro, principalmente pelos recentes números recordes de desmatamento da Floresta Amazônia, acompanhados pela destruição sem precedentes do Pantanal em um ano de forte seca.

    O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, chega à 74ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), ao lado de sua esposa, Michelle Bolsonaro, no dia 24 de setembro de 2019.
    © REUTERS . Yana Paskova
    O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, chega à 74ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), ao lado de sua esposa, Michelle Bolsonaro, no dia 24 de setembro de 2019.

    Ainda de acordo com o jornal, Bolsonaro apontará que o Brasil avança na implementação da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável da ONU, associando que a preservação ambiental deve andar lado a lado com o desenvolvimento econômico.

    As medidas no setor, continua o discurso presidencial, visam a "mobilização de recursos para controlar o desmatamento, combater atividades ilegais e o crime organizado na Amazônia". Bolsonaro ainda tende a elogiar o agronegócio brasileiro, que exporta para mais de 180 países.

    Em outro trecho do discurso, o presidente do Brasil deve elogiar a sua gestão no enfrentamento da COVID-19, que já matou mais de 136 mil pessoas no país. Recentemente, Bolsonaro afirmou que o país foi um dos que melhor enfrentou a pandemia, mesmo com a adoção de várias medidas contrárias às recomendações das autoridades sanitárias.

    No ano passado, Bolsonaro fez a sua estreia na Assembleia Geral da ONU, com um discurso que foi considerado agressivo à época.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil no fim de setembro (25)

    Mais:

    Após ser mencionado na ONU, Raoni diz que Bolsonaro 'tem que sair do governo' (VÍDEO)
    'Bolsonaro foi estadista firme na ONU', diz advogado da área ambiental
    Discurso de Bolsonaro na ONU 'parece saído da Guerra Fria', diz especialista
    Tags:
    Floresta Amazônica, Amazônia, Pantanal, queimadas, diplomacia, desmatamento, Ministério do Meio Ambiente, meio ambiente, Assembleia Geral da ONU, ONU, novo coronavírus, COVID-19, Antonio Hamilton Mourão, Jair Bolsonaro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar