04:03 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Coronavírus no Brasil em meados de setembro (42)
    110
    Nos siga no

    O primeiro trimestre da pandemia do novo coronavírus provocou uma perda média de 20,1% na renda dos brasileiros, baixando o valor de R$ 1.118 para R$ 893 mensais. No cálculo, consideram-se mercados formal e informal e também a parcela de trabalhadores sem emprego.

    No período, o coeficiente de Gini, usado para mensurar o nível de desigualdade social, aumentou 2,82%. Os dados foram apresentados pela pesquisa Efeitos da pandemia sobre o mercado de trabalho brasileiro da Fundação Getulio Vargas (FGV), informou Agência Brasil.

    Conforme o estudo, tanto a queda média na renda como o índice Gini atingiram nível recorde quando analisadas variações da série histórica, iniciada em 2012. Enquanto os mais pobres viram a renda encolher 27,9% - de R$ 199 para R$ 144 -, o impacto foi de 17,5% - de R$ 5.428 para 4.476 -, entre os 10% mais ricos do país.

    Os pesquisadores atribuem a queda de mais de um quarto da renda à redução da jornada de trabalho, que foi de 14,34% na média nacional, e a outros fatores, como a própria diminuição na oferta de vagas. A taxa de ocupação, isto é, a parcela da força de trabalho que possui um emprego, também caiu 9,9%.

    O estudo afirma que a situação pesou mais entre indígenas, analfabetos e jovens de 20 a 24 anos. De acordo com os pesquisadores, mulheres foram mais afetadas, com 20,54% de queda na renda, contra 19,56% dos homens.

    Tema:
    Coronavírus no Brasil em meados de setembro (42)

    Mais:

    Banco do BRICS empresta US$ 1 bilhão ao Brasil para amenizar golpe econômico da COVID-19
    'Não há carvão limpo': secretário da ONU quer energia renovável e economia verde no mundo pós-COVID
    Economista: COVID-19 acelerou mudanças e quem não se adaptou deve tentar conter danos
    Tags:
    pesquisa, Brasil, FGV
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar