23:07 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    374
    Nos siga no

    Uma pesquisa do Instituto Datafolha divulgada na noite desta segunda-feira (27) mostra que o brasileiro está dividido quando o assunto é a possibilidade de abertura de processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro, mas cresceu o apoio à sua renúncia.

    O levantamento foi feito por telefone com 1.503 pessoas e já contou com o impacto da saída do ex-juiz federal Sergio Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Ele saiu atirando, acusando Bolsonaro de interferência política na Polícia Federal (PF).

    Ao menos 45% dos entrevistados pelo Datafolha querem que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), dê início a um processo de impeachment contra Bolsonaro, enquanto 48% rejeitam a ideia – há um empate técnico, já que a pesquisa possui uma margem de erro de três pontos percentuais. Outros 6% não souberam opinar.

    Já a possível renúncia do presidente, que antes era apoiada por 37% dos entrevistados pelo instituto, agora tem o suporte de 46%. Aqueles que são contra uma renúncia de Bolsonaro chegam aos 50% - eram 59% em um levantamento anterior.

    Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, fala com ministro da Justiça, Sergio Moro, no Palácio do Planalto, Brasília, 17 de junho de 2019
    © AP Photo / Eraldo Peres
    Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, fala com ministro da Justiça, Sergio Moro, no Palácio do Planalto, Brasília, 17 de junho de 2019

    Sobre a avaliação do governo Bolsonaro, 38% o consideram ruim ou péssimo, com 33% afirmando que a gestão é boa ou ótima, e 26% como regular. O presidente é mais bem avaliado no Norte e no Centro-Oeste e entre os mais ricos, e mais rejeitado no Nordeste, Sudeste, e entre os mais instruídos.

    A pesquisa ainda avaliou que Moro possui mais apoio em relação a Bolsonaro após a sua polêmica saída do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e há para a maioria dos entrevistados a impressão de que o combate à corrupção vai piorar no país.

    Além disso, quase metade dos entrevistados (49%) crê que Bolsonaro perdeu a capacidade de governar o Brasil.

    Mais:

    Lula diz que Bolsonaro é 'filho de Moro' e ataca: 'os dois são bandidos'
    'Homem que decide a economia no Brasil é um só: Paulo Guedes', diz Bolsonaro
    PF não é 'intocável' e deve seguir 'comando político', diz analista sobre planos de Bolsonaro
    Tags:
    política, corrupção, combate à corrupção, renúncia, impeachment, Rodrigo Maia, Sergio Moro, Jair Bolsonaro, Instituto DataFolha, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar