14:24 03 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2020 (99)
    91318
    Nos siga no

    Após apoiadores de Jair Bolsonaro afirmarem que só "estão esperando sua voz" e enaltecerem seu governo e as Forças Armadas, o presidente disse "vamos vencer essa guerra" e "vai chegar a hora".

    As declarações aconteceram nesta sexta-feira (3) na porta do Palácio da Alvorada. O vídeo com a conversa entre o chefe de Estado e seus seguidores foi postado no canal do YouTube Cafezinho com Pimenta.

    Ao chegar ao Palácio, Bolsonaro desce do carro e vai ao encontro do grupo que costuma o esperar na entrada do local. Dessa vez, sem se reunir com os jornalistas.

    Após escutar reclamações dos presentes, que pedem para voltar ao trabalho e se queixam de perdas no comércio, o presidente criticou a quarentena para conter a disseminação da COVID-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

    'Não pode fechar dessa maneira'

    "Vocês sabem meu posicionamento, não pode fechar dessa maneira. Atrás disso vem miséria, vem desemprego em massa", disse Bolsonaro.

    Muitos apoiadores se apresentam como pastores ou membros de igrejas evangélicas. Em certo momento, um deles comanda uma reza em nome de Bolsonaro. É possível ouvir muitas louvações a Jesus e Deus ao longo do encontro.

    'Esse vírus é igual a uma chuva'

    Além disso, há muitas críticas ao Congresso, ao Supremo Tribunal Federal (STF) e à imprensa por parte dos seguidores. 

    Bolsonaro disse ainda que o coronavírus "era igual a uma chuva".

    "Esse vírus e igual a uma chuva, vai molhar 70% de vocês, isso ninguém contesta. Toda nação vai ficar livre de pandemia depois que 70% for infectado e conseguir os anticorpos. Ponto final. Mas dentre esses 70%, uma pequena parte, que são idosos, quem tem problema de saúde, vai ter problema sério", afirmou.

    Bolsonaro criticou o posicionamento de governadores que estão impondo restrições à circulação e ao comércio, chamando de "demagogia", e afirmando que o país não poderia ficar meses parado.

    'Sociedade não aguenta ficar dois, três meses parada'

    "O que estão fazendo é adiar para ter espaço nos hospitais. Mas tem um detalhe, a sociedade não aguenta ficar dois, três  meses parada, vai quebrar tudo", disse.

    Diante dos apelos dos apoiadores para acabar com a quarentena, Bolsonaro afirmou que "a opinião publica aos poucos esta vindo para nosso lado, por isso eles têm que ouvir o povo". 

    'Esperando sua voz'

    Um apoiador, que se apresentou como autônomo, falou por vários momentos que a população "só" estava "esperando a voz" de Bolsonaro.

    "O povo brasileiro, a maioria, só está aguardando", "o povo está do seu lado, só estamos esperando", "em nome de Jesus, só esperando sua voz" e "acreditamos no seu governo e nas Forças Armadas", repetiu ele.

    Ao final do encontro, Bolsonaro disse "vamos vencer essa guerra" e, quase no final, "vai chegar a hora certa". 

    Tema:
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2020 (99)

    Mais:

    Posições de Bolsonaro colocam em xeque sua capacidade de governar o país, diz especialista
    Prefeito da maior cidade do Brasil avisa: 'Se seguir Bolsonaro, SP vai explodir igual em Milão'
    Coronavírus poderia ser a 1ª de muitas outras pandemias futuras, adverte cientista
    Como EUA 'apreendem' cargas de equipamentos médicos destinadas ao Brasil e outros países?
    Tags:
    doença, pandemia, COVID-19, quarentena, governadores, governo, forças armadas, Brasil, novo coronavírus, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar