00:05 21 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2020 (99)
    12124
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro voltou a se opor nesta quarta-feira às medidas de confinamento que os governadores estaduais estão adotando para deter o novo coronavírus, acusando-os de causar escassez de alimentos.

    Bolsonaro publicou no Twitter (agora excluído) um vídeo de um suposto trabalhador do centro de abastecimento de Belo Horizonte, que reclama que não há comida e o acompanha com o seguinte texto:

    "Não é um desentendimento entre o presidente e alguns governadores e alguns prefeitos. São fatos e realidades que devem ser mostradas. Depois da destruição não interessa mostrar culpados."

    No vídeo, o homem mostra um armazém praticamente vazio, diz que "a fome também mata", critica os governadores "que querem ganhar um nome e uma projeção política" e elogia Bolsonaro, porque garante que o que o presidente quer é uma paralisia responsável.

    Pouco depois, vários veículos de imprensa refutaram o conteúdo da postagem. Um helicóptero da Rede Globo chegou a sobrevoar o local para desmentir o teor compartilhado por Bolsonaro. O vídeo acabou sendo deletado pelo presidente.

    Bolsonaro cumprimenta apoiadores em manifestação em frente ao Planalto em meio à epidemia do coronavírus
    © REUTERS / Adriano Machado
    Presidente Jair Bolsonaro cumprimenta apoiadores em manifestação em frente ao Planalto em meio à epidemia do coronavírus

    Nos últimos dias, o presidente brasileiro se opôs totalmente às restrições e quarentenas impostas pelos governadores e prefeitos para conter a expansão da COVID-19, e chegou ao ponto de deturpar uma palavra do diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) ao argumentar que a entidade defende que, nos países pobres, as pessoas retornem ao trabalho para garantir seu sustento.

    Essa posição lhe rendeu inúmeras críticas e gerou tensões até dentro do próprio governo, principalmente com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que é a favor do isolamento social.

    De acordo com o balanço divulgado em 31 de março pelo ministério, o Brasil já acumula 201 mortes e 5.717 casos confirmados do novo coronavírus, com uma letalidade de 3,5%.

    Tema:
    COVID-19 no Brasil no início de abril de 2020 (99)

    Mais:

    Moro e Guedes se unem a Mandetta contra Bolsonaro, diz jornal
    Sociedade precisa pressionar para Maia aceitar impeachment de Bolsonaro, diz deputado do PSOL
    Prefeito da maior cidade do Brasil avisa: 'Se seguir Bolsonaro, SP vai explodir igual em Milão'
    Tags:
    saúde, novo coronavírus, fake news, Jair Bolsonaro, OMS, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar