15:51 09 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Por
    Brasil enfrenta COVID-19 (101)
    11515
    Nos siga no

    O governo federal está preparando campanha publicitária O Brasil Não Pode Parar, após Jair Bolsonaro criticar "confinamento em massa" e defender "isolamento vertical" em meio ao coronavírus. A campanha está dando o que falar no Twitter.

    Um vídeo começou a circular na web do que seria a campanha publicitária a favor do "isolamento vertical", sugerido pelo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, em meio à COVID-19. A campanha pontua em um dos trechos:

    "Para dezenas de milhões de brasileiros assalariados e suas famílias, seus filhos e seus netos, seus pais e seus avós, o Brasil não pode parar. Para os pacientes das mais diversas doenças e os heroicos profissionais de saúde que deles cuidam, para os brasileiros contaminados pelo coronavírus, para todos que dependem de atendimento e da chegada de remédios e equipamentos, o Brasil não pode parar. Para quem defende a vida dos brasileiros e as condições para que todos vivam com qualidade, saúde e dignidade, o Brasil definitivamente não pode parar", diz o narrador, que repete inúmeras vezes o slogan da campanha O Brasil Não Pode Parar.

    Confira o vídeo da campanha publicitária, publicado pelo senador Alvaro Dias (Pode-PR).

    ​A campanha publicitária ainda não foi lançada, mas, de acordo com o jornal Época, custará aos cofres do Brasil R$ 4,8 milhões e será feita sem licitação, por se tratar de uma medida "emergencial".

    As reações na web estão sendo distintas, com internautas desaprovando a ideia bolsonarista e outros a apoiando.

    "Em breve estaremos cremando muitos amigos e familiares", prevê internauta.

    ​O comentarista André Fran não vê futuro com essa campanha publicitária.

    ​O deputado federal André Fernandes (PSL-CE) deixou bem claro ser "favorável ao isolamento vertical", sugerido pelo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

    ​O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) acredita que "a vida das pessoas para governo Bolsonaro não importa".

    ​Bolsonarista defendeu à campanha publicitária e adicionou um vídeo de Bolsonaro dizendo que se comerciantes "forem obrigados a fechar seus negócios por decisão do respectivo chefe do Executivo, os encargos trabalhistas são pagos pelo governador e prefeito".

    ​O deputado federal Éder Maduro (PSD-PA) acredita que o discurso de Bolsonaro é desagradável à "mídia terrorista".

    ​Já eram mais de 25 mil tweets com "Brasil Não Pode Parar", colocando tema nos assuntos mais comentados no Twitter nesta sexta-feira (27).

    Tema:
    Brasil enfrenta COVID-19 (101)

    Mais:

    Número de casos de coronavírus confirmados no Brasil passa de 2 mil
    Ministério da Saúde: número de mortos por coronavírus no Brasil sobe para 34
    Casos de coronavírus no Brasil só terão 'queda brusca em setembro', diz ministro
    Tags:
    novo coronavírus, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar