19:15 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    282
    Nos siga no

    O Paraguai e o Brasil assinaram um acordo automotivo sobre livre comércio de veículos e autopeças nesta terça-feira em Assunção, que as autoridades locais consideraram um passo fundamental para a adaptação do setor no bloco regional do Mercosul.

    A ministra da Indústria e Comércio do Paraguai, Liz Cramer, e o embaixador do Brasil em Assunção, Flavio Soares Damico, assinaram o acordo, que foi fechado no final de 2019.

    "Se somos o único país a não ter um acordo bilateral com nossos vizinhos, agora temos dois. Assinamos com a Argentina [em 2019] e hoje selamos o acordo com o Brasil, com o qual temos a base para um acordo automotivo do Mercosul que nos permitem uma visão de integração produtiva", disse Cramer.

    O documento contempla o livre comércio de produtos do setor entre os dois países e o acesso preferencial a veículos com motores alternativos e carros de última geração, afirmou comunicado do Ministério das Relações Exteriores do Paraguai.

    O acordo também estabelece acesso preferencial ao mercado brasileiro de mercadorias fabricadas no Paraguai sob o regime de maquila (incentivo fiscal), com uma cota preferencial de US$ 350 milhões para produtos com um Índice de Conteúdo Regional (ICR) de 40% este ano.

    O presidente Jair Bolsonaro e o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, no Palácio do Planalto.
    © Folhapress / Pedro Ladeira/Folhapress
    O presidente Jair Bolsonaro e o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, no Palácio do Planalto.

    O valor aumentará gradualmente para US$ 750 milhões até 2027, com um ICR de 50%, segundo o documento.

    "O acordo de hoje representa uma estrutura para a inserção de nossas duas nações nas cadeias produtivas globais", declarou o secretário especial de economia do secretário do Brasil Marcos Prado Troyjo durante a cerimônia.

    A intenção dos governos agora é integrar o setor automotivo, que foi excluído do acordo original do Mercosul, aos padrões do bloco, que também compõem a Argentina e o Uruguai.

    O Brasil também busca trabalhar para reduzir a tarifa externa comum de 35%, que atualmente é a mais alta de todos os setores do bloco.

    Mais:

    Acordo de livre comércio automotivo Brasil-Uruguai fortalece Mercosul
    Brasil e Argentina negociam a ampliação do comércio e a renovação do acordo automotivo
    Acordo automotivo atrasa 10 anos em razão da crise econômica argentina, diz economista
    Tags:
    acordo, diplomacia, relações bilaterais, economia, veículos, carros, indústria automobilística, venda de automóveis, setor automotivo, Mercosul, Paraguai, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar