05:15 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    11164
    Nos siga no

    Crítico frequente e inflamado da mídia brasileira, o presidente Jair Bolsonaro declarou nesta quarta-feira que não falaria mais com jornalistas.

    Bolsonaro fez as declarações fora de sua residência oficial em Brasília, onde na maioria das manhãs do ano passado ele respondeu perguntas de repórteres e cumprimentou fãs.

    "Quero falar com você, mas a associação nacional de jornalismo diz que quando falo, eu os ataquei", disse Bolsonaro a repórteres. "Como sou uma pessoa de paz, não darei mais entrevistas".

    A medida ocorre depois que a Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ) revelou na semana passada que a presidência de Bolsonaro "afetou significativamente a liberdade de imprensa no Brasil".

    Ele registrou 208 ataques - incluindo físicos e verbais - contra a mídia ou jornalistas em 2019, um aumento de 54% em comparação com o ano anterior.

    Bolsonaro foi responsável por mais da metade dos incidentes, mostrou o levantamento. Ele costumava usar declarações públicas como discursos, entrevistas ou tweets para atacar a mídia.

    Presidente Jair Bolsonaro fala à imprensa na saída do Palácio do Planalto, em Brasília, em 20 de novembro de 2019
    © Foto / Agência Brasil
    Presidente Jair Bolsonaro fala à imprensa na saída do Palácio do Planalto, em Brasília, em 20 de novembro de 2019

    Desde sua campanha eleitoral em 2018, Bolsonaro costumava atacar repórteres ou veículos de comunicação.

    Bolsonaro afirmou em julho que o jornalista americano Glenn Greenwald - que foi acusado de crimes cibernéticos na terça-feira - poderia "cumprir pena de prisão" pela publicação de chats vazados que ameaçavam minar uma investigação maciça sobre corrupção.

    Em discurso na Assembleia Geral da ONU em setembro, Bolsonaro acusou a mídia de "mentir" sobre a extensão dos incêndios na Amazônia.

    No mês seguinte, Bolsonaro anunciou que havia cancelado sua assinatura do jornal Folha de S. Paulo.

    Ele também ameaçou cancelar a licença de transmissão da TV Globo por causa de uma reportagem que o ligava a uma pessoa acusada de assassinar a vereadora Marielle Franco no Rio de Janeiro.

    Mais:

    Investigado pelo MP-RJ, Carlos Bolsonaro ataca a imprensa: 'não vou cair na armadilha'
    Eduardo Bolsonaro sai correndo da imprensa (VÍDEO)
    'Imprensa é como radialista torcendo contra um time', diz Ernesto Araújo
    Tags:
    democracia, ataques, ofensa, jornalistas, jornalismo, Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj), veículos de imprensa, coletiva de imprensa, liberdade de imprensa, imprensa, mídia, Jair Bolsonaro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar