10:21 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Agentes limpam manchas de óleo que atingiram a praia do Viral, na região de Mosqueiro, em Aracaju (SE)

    Mourão diz que governo pode anunciar nesta semana responsável por vazamento de óleo

    ©Márcio Garcez/Folhapress
    Brasil
    URL curta
    836
    Nos siga no

    O presidente em exercício, Hamilton Mourão, disse nesta quarta-feira (30) que governo pode anunciar ainda nesta semana o responsável pelo derramamento de óleo que atingiu o litoral do Nordeste. 

    Segundo ele, o presidente Jair Bolsonaro é quem fará o pronunciamento. A declaração foi feita após encontro de Mourão com o comandante da Marinha, Eduardo Bacellar, no Palácio do Planalto, em Brasília. 

    "Conversamos sobre a situação do óleo, e a nossa investigação está chegando lá. Está chegando perto. Estamos aguardando o presidente chegar", disse o presidente em exercício, segundo publicado pelo jornal O Globo. O encontro teve como objetivo discutir a questão das manchas de óleo. 

    Será uma notícia boa. A gente sempre aprende nos quarteis o seguinte: notícia boa é o comandante que dá, notícias ruins é o subcomandante. É assim que funciona", acrescentou ele. A origem do óleo ainda não foi confirmada. Alguns estudos apontam que o produto é venezuelano. 

    Bolsonaro retornará de viagem para a Ásia e o Oriente Médio nesta quinta-feira (31). Ao ser perguntando se o anúncio poderia ser feito ainda nesta semana, Mourão respondeu que havia uma "boa chance". 

    11 navios poderiam ter derramado o produto

    De acordo com o presidente em exercício, o vazamento aconteceu durante uma "injeção de porão" (ejeção de óleo para manter a estabilidade de um navio). 

    "Acho que o cara fez uma injeção de porão, pela quantidade de óleo que foi lançada. Acho. Ele tira um pouco do óleo. Por exemplo, está com um problema de flutuação, de balanço e tira um pouco do óleo para aumentar a estabilidade", afirmou. 

    Mourão disse ainda que o governo brasileiro chegou a um número de 11 navios que podem ter derramado o produto. A embarcação, de acordo com o presidente interino, não estava com o transponder, equipamento que informa posição do veículo, desligado. 

    Navio não seria ilegal

    Ele afirmou também que provavelmente o navio responsável pelo derramamento não é ilegal. 

    Desde o dia 30 de agosto, as manchas de óleo atingiram 283 localidades em 98 municípios dos nove estados do Nordeste. Segundo Mourão, foram recolhidos até o momento 2.500 toneladas de óleo, o que representa 1% das 250 mil toneladas que um navio pode transportar. 

    No último sábado (26), Mourão disse que as todas praias do Nordeste estavam próprias para o banho, embora manchas tenham aparecido em algumas localidades desde então.

    Mais:

    Manchas de óleo interditam cada vez mais praias turísticas no Nordeste
    População retira 525 toneladas de resíduos de óleo de praias no Nordeste do Brasil
    'Voluntários não deveriam estar na praia', diz oceanógrafo sobre óleo no Nordeste
    Tags:
    Antonio Hamilton Mourão, Jair Bolsonaro, Nordeste, litoral, oceano, mar, meio ambiente, vazamento, derramamento, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar