14:38 19 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Sede da Petrobras, no Rio de Janeiro.

    Dirigente sindical diz que Petrobras quer retirar direitos e que petroleiros podem parar

    © REUTERS / Sergio Moraes
    Brasil
    URL curta
    170
    Nos siga no

    Sem acordo, os petroleiros podem cruzar os braços contra a retirada de direitos, afirma à Sputnik Brasil o coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), José Maria Rangel.

    Petrobras e FUP estão no Tribunal Superior do Trabalho (TST) para tentar chegar a um novo acordo coletivo. Rangel diz que a discussão foi para o TST por decisão da estatal, que pretende o abandonar o atual acordo coletivo, de 2013.

    "A proposta da empresa desmonta toda a construção do nosso acordo coletivo, retirando vários direitos que nós conquistamos ao longo de décadas, cláusulas que estão há mais de 20 anos em nosso acordo coletivo", diz Rangel à Sputnik Brasil.

    Entre os pontos em discussão, esclarece o dirigente da FUP, estão a remuneração por horas extras e a co-participação nos planos de saúde dos servidores.

    A FUP afirmou, por meio de nota, que "representantes dos trabalhadores denunciaram a postura intransigente da empresa durante o processo de negociação" em reunião com o Ministério Público do Trabalho (MPT), que auxilia o processo de mediação do TST. Também na nota, a FUP informa que realizará atos pelo país em 3 de outubro "contra a privatização da empresa".

    O atual acordo coletivo em vigor é válido até esta segunda-feira (30) e FUP e Petrobras precisam informar ao TST se aceitam os termos. Caso não haja avanço nas negociações, Rangel diz que a categoria não descarta a possibilidade de uma greve.

    Mais:

    Irã diz que 'passo importante' foi dado para reunião sobre acordo nuclear com os EUA
    Maduro diz que Venezuela só venderá petróleo em petro no ano que vem
    Presidente venezuelano anuncia aumento no petro e no salário mínimo
    Plano de Poupança em Petro: Venezuela inicia venda de criptomoeda via moeda nacional
    Lula diz que não aceita regime semiaberto: 'Não troco minha dignidade pela minha liberdade'
    Tags:
    Brasil, Petrobras, Federação Única dos Petroleiros (FUP)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar