08:37 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1106
    Nos siga no

    Um grupo de ex-funcionários dos EUA, e especialistas em desarmamento nuclear enviaram, nesta segunda-feira (9), uma carta aberta aos partidos políticos do Japão pedindo para que o país não se oponha à posição de "não uso inicial", que deverá ser anunciada pelos EUA.

    A carta - que foi também firmada pelo ex-secretário de Defesa William Perry - dirigida ao primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga, entre outros líderes partidários, afirma como o presidente dos EUA, Joe Biden, está considerando declarar que o país não usaria armas nucleares em um ataque inicial. Por essa razão, solicita que o Japão apoie essa política, mesmo que tenha feito oposição a essa iniciativa no ano anterior, informa o The Japan Times.

    A mudança de política relacionada com o uso de armas nucleares toma lugar no momento em que o Japão assinala o 76º aniversário dos bombardeios atômicos de Hiroshima e Nagasaki, cujas cerimônias se realizaram na última sexta-feira (6) e nesta segunda-feira (9), respectivamente.

    "Seria trágico se o Japão [...] bloqueasse este pequeno mas importante passo em direção à abolição das armas nucleares", conforme está escrito na carta, citada na matéria.

    A carta diz que o governo do ex-presidente democrata Barack Obama, que havia defendido o desarmamento nuclear global, abandonou a política de não uso inicial em 2016 em meio a temores de que a oposição de alguns aliados, incluindo o Japão, pudesse empurrar esses aliados a tentar obter armas nucleares.

    Primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, presta homenagem durante cerimônia para marcar o 76º aniversário do bombardeio de Hiroshima, Parque Memorial da Paz de Hiroshima, 6 de agosto de 2021
    © AFP 2021 / STR/ JIJI PRESS
    Primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, presta homenagem durante cerimônia para marcar o 76º aniversário do bombardeio de Hiroshima, Parque Memorial da Paz de Hiroshima, 6 de agosto de 2021

    De igual modo, Tóquio e alguns dos aliados de Washington, também se teriam oposto à declaração por se preocuparem que isso levaria a "um enfraquecimento da dissuasão nuclear dos EUA contra ataques não nucleares", refere a carta, citada pela mídia.

    A carta em causa insta Suga e outros líderes políticos japoneses "a declararem que não se vão opor a uma declaração do governo de Biden a favor de uma política de não uso inicial ou de propósito único, e que afirmem que tal política não aumentaria a probabilidade de o Japão adquirir suas armas nucleares", relata o The Japan Times.

    Antes tomar posse da liderança dos EUA, Biden expressou seu apoio à política de não uso inicial à mídia, dizendo que o arsenal nuclear dos EUA deveria ser usado apenas para prevenir um ataque, sugerindo que as armas nucleares deveriam ser somente usadas para retaliação a um ataque nuclear contra o país ou seus aliados.

    É esperado que a administração Biden elabore seus planos no campo nuclear já no início do próximo ano.

    Mais:

    EUA, Japão e Coreia do Sul enviam mensagem 'crítica' à Coreia do Norte, diz diplomata americana
    Desclassificados documentos da 2ª Guerra Mundial sobre preparação do Japão para guerra com URSS
    Pyongyang rotula de 'provocação' plano do Reino Unido de implantar navios de guerra na Ásia-Pacífico
    Tags:
    Japão, EUA, armas nucleares, política, Hiroshima, aniversário, carta, Yoshihide Suga
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar