03:18 22 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    05212
    Nos siga no

    Segundo ele as forças militares da Austrália durariam "apenas alguns dias" em uma guerra cada vez mais provável contra a China e que o Exército dos EUA não seria tão poderoso quanto parece.

    O ex-general do Exército australiano e atual senador liberal, Jim Molan, alertou sobre a verdadeira ameaça que a China representa para a Austrália a um canal de TV do país na terça-feira (27). Segundo Molan, os australianos precisam começar a aceitar e se preparar para uma guerra com o "vizinho cada vez mais agressivo".

    O senador acredita que "a guerra é mais provável do que a maioria das pessoas está disposta a admitir", advertiu.

    "China e segurança nacional são a questão mais perigosa para nós", afirmou o senador Molan, descartando a suposição de que os EUA protegeriam a Austrália da China, já que segundo ele o Exército norte-americano é mais fraco do que a maioria das pessoas imagina.

    O ex-general contou ainda que exercícios secretos de guerra vazaram para o público, mostrando que o Exército dos EUA provavelmente seria derrotado se um conflito com a China ocorresse. 

    Paraquedistas da 173ª Brigada Aérea do Exército dos EUA se preparam para embarcar em aeronave em Papa, Hungria, 11 de maio de 2021
    © AP Photo / Laszlo Balogh
    Paraquedistas da 173ª Brigada Aérea do Exército dos EUA se preparam para embarcar em aeronave em Papa, Hungria, 11 de maio de 2021

    No caso de um confronto sobre Taiwan, o senador Molan apostou que os EUA também provavelmente perderiam, deixando a Austrália sozinha: "Se os americanos entrarem e tentarem atacar Taiwan e perderem - e há uma boa probabilidade de que o façam - então nós [Austrália] estaremos por conta própria", disse.

    O senador Molan elogiou a "brilhante" e "inteligente" Força de Defesa Australiana (ADF, na sigla em inglês), mas enfatizou que ela simplesmente não era páreo para a China, que possui o maior exército do mundo.

    "[A ADF] Não pode lutar com força suficiente. Não é grande o suficiente, não tem massa para defender este país […] Mesmo em 10 anos, teremos um exército que ainda não é letal o suficiente", adiantou.

    Por fim, o senador Molan disse que nem tudo era desgraça e tristeza para a Austrália, destacando que o principal conflito global era entre a China e os EUA e não entre a China e a Austrália.

    Embora o ex-general acredite que a guerra seja "provável", ele não acha que seja inevitável. Por enquanto, o senador Molan diz que os militares australianos devem voltar à prancheta, permanecer prudentes quanto ao potencial de guerra e se concentrar na segurança estratégica interna.

    Porto de Darwin

    Um dos primeiros passos, segundo o senador Molan, é retomar o porto de Darwin, por ser uma base crítica de projeção de defesa.

    "Retirar Darwin seria uma indicação de autoconfiança, preocupação, determinação e resolução. É por isso que acredito que devemos fazer isso", indicou.

    Darwin sempre foi de importância estratégica para a Austrália, devido à sua proximidade com a região Ásia-Pacífico. No entanto, nos últimos anos, essa importância cresceu exponencialmente, à medida que o poderio econômico e militar da China aumentou significativamente.

    O porto de Darwin pertenceu à estatal chinesa Landbridge desde 2015, depois que o Partido Liberal do país do governo do Território do Norte concedeu à corporação um arrendamento do porto por 99 anos.

    Mais:

    Austrália e Nova Zelândia se unem contra 'atividades desestabilizadoras' da China
    Premiê da Austrália busca jeito de 'reiniciar' diálogo com China
    Brisbane, na Austrália, vai sediar Jogos Olímpicos em 2032
    Tags:
    Austrália, EUA, Exército, China, guerra, chances
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar