20:14 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    158
    Nos siga no

    Agência norte-coreana KCNA escreve que o país está sofrendo danos devido à grave seca, com níveis de precipitação abaixo do esperado em várias regiões.

    O Ministério da Agricultura, os líderes do Partido dos Trabalhadores da Coreia e o governo "em todas as províncias, cidades e condados estão tomando medidas extraordinárias para mobilizar todos os recursos humanos e meios a fim de mitigar os danos causados pela seca", informou na segunda-feira (26) a agência norte-coreana KCNA.

    De acordo com a agência estatal, o anticiclone subtropical vindo do Pacífico noroeste afeta o país desde 12 de julho e, como resultado, a quantidade de chuva em meados deste mês ficou em 21,2 mm, o que equivale a 25,8% dos valores médios, tratando-se assim do segundo registro mais baixo desde 1981.

    A mídia relatou que, na província de Hwanghae Sul, as temperaturas chegaram a 35 ºC em média, fazendo com que milhares de hectares de plantações de arroz e milho secassem.

    Kim Tok Hun, primeiro-ministro da Coreia do Norte, e membro do Presidium do Politburo do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia, inspeciona fazendas da Coreia do Norte
    © REUTERS / KCNA
    Kim Tok Hun, primeiro-ministro da Coreia do Norte, e membro do Presidium do Politburo do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia, inspeciona fazendas da Coreia do Norte

    A seca está afetando os condados de Sohung, Junggang, Jasong, Kosong, Anbyon, Hongwon e Sinhung, onde as plantações de milho e feijão estão secando até uma profundidade de 5-20 cm.

    Mais:

    'Grave incidente': Kim critica altos funcionários norte-coreanos por erros na luta contra COVID-19
    Situação alimentar na Coreia do Norte é 'tensa', afirma Kim Jong-un
    Coreia do Norte pode enfrentar em breve maior crise desde a fome devastadora de 1990, diz analista
    Tags:
    Coreia do Norte, KCNA, Partido dos Trabalhadores da Coreia, Pacífico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar