19:18 02 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    Após um quadricóptero, supostamente vindo do Paquistão, ter tentado na sexta-feira (2) atravessar a fronteira da Índia no setor de Arnia, um magistrado distrital indiano decidiu proibir a utilização de drones na região.

    Desde 2020, a Índia tem acusado o Paquistão de usar drones de modo a transportar armas e munições para supostos militantes ao longo da fronteira em Jammu e Caxemira, ao mesmo tempo que as forças de segurança indianas têm testado a tecnologia de interferência antidrone na fronteira com o Paquistão.

    Dias após o ataque a uma base aérea indiana em Jammu, a administração indiana do distrito de Jammu e Caxemira proibiu no domingo (4) o uso e a posse de drones em Srinagar, segundo informou no domingo (4) o jornal The Hindu.

    A ordem torna ilegal o armazenamento, venda, posse, uso e transporte de drones e outros tipos de veículos aéreos não tripulados.

    "Para proteger o espaço aéreo próximo a instalações vitais e áreas densamente povoadas, é imperativo descontinuar o uso de drones em todos os ajuntamentos sociais e culturais para eliminar qualquer risco de ferimentos à vida e danos à propriedade", escreveu Mohammad Aijaz, magistrado distrital, citado pelo The Hindu.

    As pessoas que já possuem drones foram incumbidas de se apresentarem na delegacia de polícia local. Da mesma maneira, os departamentos governamentais que utilizam drones para mapeamento e pesquisas foram solicitados a informar a polícia antes de lançar o equipamento.

    Srinagar é o segundo distrito do território da União de Jammu e Caxemira a proibir os drones.

    Em um primeiro ataque terrorista deste tipo, dois dispositivos explosivos improvisados de baixa intensidade foram lançados no último domingo (27) por drones em uma base aérea indiana em Jammu, ferindo dois funcionários. A base está localizada a 14 km da fronteira internacional com o Paquistão.

    Na segunda-feira (28), o Ministério da Defesa da Índia disse que impediu outro ataque com drones perto de uma estação militar na região de Jammu. As investigações iniciais apontam o dedo à Lashkar-e-Taiba (organização terrorista, proibida na Rússia e em vários outros países), baseada no Paquistão.

    Na sexta-feira (2), um quadricóptero, supostamente vindo do Paquistão, tentou entrar na Índia ao longo da fronteira internacional no setor Arnia.

    O Ministério das Relações Exteriores da Índia levantou a questão de segurança com o Paquistão na semana passada, depois que um drone foi supostamente avistado sobre o Alto Comissariado Indiano em Islamabad, Paquistão.

    No ano passado, o Paquistão abateu quase meia dúzia de drones perto da fronteira, citando violações do espaço aéreo.

    Mais:

    Exército paquistanês acusa tropas indianas de matar soldado na Caxemira
    Após invasão falha na Caxemira, Índia e Paquistão trocam tiros na fronteira com 'baixas' de civis
    Exército do Paquistão alega ter abatido drone 'espião' indiano (FOTO)
    Tags:
    Srinagar, Ministério da Defesa da Índia, Ministério da Defesa, Jammu e Caxemira, Caxemira, Lashkar-e-Taiba, Índia, Paquistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar