07:11 14 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6234
    Nos siga no

    Exercícios conjuntos dos Estados Unidos, França e Japão não afetam absolutamente a China, esses países apenas estão gastando combustível, anunciou durante o briefing a porta-voz da chancelaria chinesa, Hua Chunying.

    Treinamentos terrestres de grande escala, com participação das forças de autodefesa japonesas, bem como de forças militares de França e dos Estados Unidos, começaram nesta terça-feira (11) no sudoeste do Japão.

    Também foi informado que a Austrália se juntou aos exercícios. Os treinamentos conjuntos têm o objetivo de colocar alguma pressão sob Pequim.

    "Vocês acham que a realização de exercícios conjuntos ou manobras militares destes quatro países pode intimidar a China? Porém, estamos contra o fato de esses países utilizarem continuamente a China como pretexto", declarou a diplomata.

    Ela notou que esses Estados discutem sem parar o país asiático e procuram justificações para amplificação de suas operações militares.

    Representantes do Japão, Estados Unidos, França e Austrália participando de uma cerimônia de início de exercícios militares conjuntos no Camp Ainoura, no Japão, em 11 de maio de 2021
    © AFP 2021 / Força de Autodefesa Terrestre do Japão / Foto de arquivo
    Representantes do Japão, Estados Unidos, França e Austrália participando de uma cerimônia de início de exercícios militares conjuntos no Camp Ainoura, no Japão, em 11 de maio de 2021

    "Se esses países executam quaisquer chamados exercícios militares conjuntos ou manobras, para ser franca, isso não influencia a China, isso não é nada mais que apenas a queima de mais um pouco de seu combustível", acentuou.

    "Nós esperamos que eles gastem o mesmo tempo e recursos para cuidarem dos interesses dos povos de seus países, bem como para darem maior contribuição à luta contra a epidemia em seus países e à colaboração internacional no combate à pandemia", concluiu.

    A atividade militar ocorre em meio a tensões crescentes entre a China e outros países da região, que acusam Pequim de se envolver em atividades militares agressivas para solidificar o controle dos mares da China Oriental e do Sul da China.

    Mais:

    Exercício anfíbio chinês mostraria a Taiwan suas capacidades de recuperar integridade territorial
    China anuncia cooperação com Rússia em estação internacional no Ártico
    Em conflito com China, Índia recebe proposta de compra de tanques anfíbios K21-105 da Coreia do Sul
    Tags:
    Japão, França, combustível, exercícios, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar