21:25 22 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    8710
    Nos siga no

    Taipé qualifica como "inimigo" a China, que afirma sua intenção de reunificar o território, e por isso decidiu em 2019 comprar mísseis PAC-3, cuja entrada de serviço está planejada para 2026.

    Taipé comprará mísseis Patriot melhorados da montadora norte-americana Lockheed Martin, revelou na quarta-feira (31) a Força Aérea de Taiwan em declarações à agência Reuters.

    De acordo com a mídia, Taiwan decidiu comprar mísseis PAC-3, cujas entregas e entrada em serviço estão planejadas para 2025 e 2026, respectivamente, mas sem divulgar a quantidade obtida devido à sensibilidade do assunto.

    "Estes planos de compra foram feitos com base na ameaça do inimigo", disse um porta-voz da Força Aérea à Reuters, acrescentando que as armas continuarão "aumentando a capacidade de defesa" da ilha.

    A decisão desta compra aos EUA teria sido tomada em 2019 durante um encontro com a então administração de Donald Trump (2017-2021). A administração atual de Joe Biden, por sua vez, ainda não anunciou publicamente nenhuma venda de armas a Taipé, mas prometeu um compromisso "sólido" com a ilha.

    Taiwan, que a China defende fazer parte indivisível de seu território, tem relatado inúmeras incursões em seu espaço aéreo pela Força Aérea chinesa nos últimos meses. Pequim impôs em julho de 2020 sanções à Lockheed Martin por seu fornecimento de armas ao território.

    Mais:

    Xi Jinping promete 'golpe esmagador' a qualquer potência que tentar dividir a China
    Taiwan e EUA reforçam coordenação marítima após China adotar controversa lei da Guarda Costeira
    EUA estão preocupados com prontidão da China para 'assumir mais riscos' por Taiwan, diz mídia
    Tags:
    Joe Biden, Donald Trump, PAC-3, Reuters, Força Aérea de Taiwan, Força Aérea, Lockheed Martin, Patriot, China, EUA, Taiwan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar