20:54 28 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3513
    Nos siga no

    A China sancionou empresas e parlamentares do Reino Unido nesta quinta-feira (25) em função do que chamou de "mentiras e desinformação" espalhadas sobre supostas violações dos direitos humanos na região autônoma de Xinjiang.

    O Ministério das Relações Exteriores chinês disse em um comunicado que sancionou quatro entidades e nove indivíduos, incluindo o ex-líder do Partido Conservador, Iain Duncan Smith, e "outros parlamentares que espalharam mentiras e rumores sobre a região de Xinjiang".

    ​China anuncia sanções para relevantes indivíduos e entidades do Reino Unido.

    "Os indivíduos em causa e os seus familiares imediatos estão proibidos de entrar" na China, em Hong Kong e em Macau, diz o comunicado. Em seguida, o texto afirma: "Suas propriedades na China serão congeladas e os cidadãos e instituições chinesas serão proibidos de fazer negócios com eles". 

    A China está firmemente determinada a salvaguardar sua soberania nacional, segurança e interesses de desenvolvimento, e avisa o Reino Unido para não ir mais longe no caminho errado", disse o ministério chinês. "Caso contrário, a China fará resolutamente novas reações".

    Pequim se posicionou após restrições dos EUA, Canadá e Reino Unido contra supostas violações dos direitos humanos em Xinjiang. Autoridades chinesas alegam que questões são relacionadas à violência, terrorismo e separatismo.

    Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying
    © AP Photo / Ng Han Guan
    Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying

    Mais:

    China afirma que sanções dos EUA facilitaram a disseminação de COVID-19 no mundo
    Taiwan ajudará aliados a comprar vacinas contra COVID-19, menos da China, diz mídia
    Almirante americano acredita que China possa invadir Taiwan mais rápido do que esperado, diz mídia
    Tags:
    China, sanções, contrassanções, guerra de sanções, Reino Unido, relações econômicas, relações comerciais, Relações diplomáticas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar