12:45 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    133
    Nos siga no

    A polícia filipina, apoiada por militares, matou nove pessoas ao longo do fim de semana em uma série de ataques contra supostos insurgentes comunistas.

    As autoridades, citadas pela Associated Press, afirmaram nesta segunda-feira (8) que todos os mortos eram associados a "grupos terroristas comunistas" e atiraram em policiais enquanto estes cumpriam mandados de busca. Os suspeitos teriam morrido enquanto eram levados para hospitais.

    A polícia cumpriu pelo menos 24 mandados de busca e apreensão, principalmente por armas de fogo e explosivos ilegais, em diferentes localidades, ao longo dos últimos dias. Além dos suspeitos neutralizados, ao menos seis foram presos e nove conseguiram escapar. 

    As mortes, segundo a AP, atraíram a atenção de grupos da esquerda e de defesa dos direitos humanos, que pediram o lançamento de uma investigação independente sobre o que, para eles, podem ter sido execuções de ativistas legítimos sob o pretexto de operação contra terroristas. 

    ​As forças de segurança das Filipinas vêm aumentando as ações contra guerrilheiros do Novo Exército Popular, grupo revolucionário de inspiração maoísta que atua há mais de 50 anos no país, com o objetivo de acabar com a insurgência antes do fim do mandato do presidente Rodrigo Duterte, em junho de 2022, destaca a agência.

    Mais:

    Filipinas alegam receber só 'um trocado' dos EUA por acordo de defesa e querem mais dinheiro
    Filipinas oferecem ao Reino Unido e à Alemanha enfermeiros em troca de vacinas
    Filipinas assinam acordo de compra de mísseis de cruzeiro supersônicos russo-indianos BrahMos
    Tags:
    direitos humanos, execuções, mortes, busca e apreensão, mandados, operações, comunistas, insurgentes, polícia, Filipinas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar