02:53 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    4512
    Nos siga no

    Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, garantiu se desfazer sem demora do acordo militar assinado entre Manila e Washington se as armas nucleares dos EUA forem implantadas em território filipino.

    Em janeiro, o presidente filipino ressaltou a necessidade de fortalecer as "próprias defesas" e instruiu o governo a considerar o encerramento do Acordo de Forças Visitantes (VFA, na sigla em inglês) entre Manila e Washington que oferece uma estrutura legal para a presença das tropas norte-americanas nas Filipinas e a organização de manobras conjuntas.

    "Eu fiz uma declaração de que vamos adotar uma política externa independente […]. Eu garanti à China que não permitirei que armamentos nucleares dos EUA sejam armazenados nas Filipinas", afirmou Duterte nesta segunda-feira (1º), durante uma coletiva de imprensa na Base Aérea de Villamor, em Pasay.

    Ao ser perguntado sobre a possibilidade de as armas dos EUA serem armazenadas em solo filipino, Duterte recordou que a Constituição das Filipinas proíbe a implantação de armas nucleares.

    Exercícios navais dos EUA e das Filipinas nas águas do Mar do Sul da China, em junho de 2014
    © AFP 2021 / Noel Celis
    Exercícios navais dos EUA e das Filipinas nas águas do Mar do Sul da China, em junho de 2014
    "Nós não queremos isso […], mas estou avisando que se eu ficar a par de [...] informações de que armamentos nucleares estão sendo trazidos por vocês [EUA], eu vou pedir-lhes para sair imediatamente e vou acabar imediatamente com o Acordo de Forças Visitantes", advertiu.

    A declaração surge depois de o porta-voz da presidência, Salvador Panelo, ter dito no início de fevereiro que o presidente filipino havia instruído o governo a encerrar o VFA, dizendo que chegou a hora "de confiar em nós mesmos".

    "Fortaleceremos nossas próprias defesas e não dependeremos de nenhum outro país", ressaltou Duterte.

    Duterte acusa políticos americanos de criticar a sua abordagem de combater o tráfico de drogas, e até chegou a proibir vários legisladores dos EUA de entrar nas Filipinas.

    Mais:

    Poderiam EUA convencer Filipinas a ajudá-los a conter China no Indo-Pacífico?
    EUA afirmam que lei da Guarda Costeira da China pode aumentar disputas territoriais
    Especialista aponta 3 razões para Pequim querer controlar o mar do Sul da China
    Tags:
    tensão geopolítica, China, armas nucleares, acordo militar, Rodrigo Duterte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar