06:42 22 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 71
    Nos siga no

    Governo chinês adverte Organização Mundial da Saúde (OMS) para que investigue a origem da COVID-19 não apenas no país asiático, mas que outros países também devem ser pesquisados.

    Nesta segunda-feira (11), as autoridades chinesas anunciaram que a chegada de uma delegação de especialistas da OMS no país está marcada para 14 de janeiro (próxima quinta-feira). O grupo da OMS será formado por especialistas da Alemanha, Austrália, Qatar, Dinamarca, Estados Unidos, Japão, Holanda, Reino Unido, Rússia e Vietnã. A intenção do grupo é encontrar pistas sobre como se originou a COVID-19, já que a China foi o primeiro país a detectar o vírus no fim de dezembro de 2019.

    Porém, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, mesmo demonstrando apoio por parte do país para que investigações sejam feitas, indica que elas devem ocorrer da mesma forma em outros países.

    "A OMS deveria conduzir investigações semelhantes em outros países também. A China está pronta para trabalhar em estreita colaboração com a OMS e especialistas internacionais e dar uma contribuição nesta área", disse Zhao Lijian.

    E lembrou que, desde o início da pandemia, a China tem demonstrado transparência na cooperação com a OMS.

    Nesta manhã (11), o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, através de sua conta no Twitter, comentou que a OMS saúda a declaração das autoridades chinesas na data da visita de seus especialistas ao país e espera conseguir uma estreita cooperação com Pequim para identificar a origem do COVID-19.

    ​Saudamos a declaração da China a respeito de um grupo internacional que estuda a origem do vírus que causa a COVID-19. Esperamos trabalhar em estreita colaboração com nossos colegas chineses nesta importante missão.

    A mensagem vem após críticas tecidas por Ghebreyesus no início da semana passada, quando a China ainda não havia autorizado a entrada da equipe da OMS.

    Mais:

    China revela a 1ª rede quântica no mundo impossível de hackear, interceptar ou ser invadida
    'Brincando com fogo': China adverte EUA sobre visita de representante da ONU a Taiwan
    COVID-19 chega a Vanuatu no Oceano Pacífico 11 meses depois do primeiro caso na China
    China pede a exportadores, incluindo o Brasil, para desinfetarem carne embalada da COVID-19
    Tags:
    China, COVID-19, OMS
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar