11:36 17 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    A Associação da Carne da China (CMA, na sigla em inglês) disse que os países que exportam carne têm a responsabilidade de evitar a contaminação pelo novo coronavírus tanto no interior como no exterior dos contêineres.

    Países que exportam carne à China precisam de redobrar esforços na desinfecção dos produtos, anunciou na terça-feira (29), um representante da indústria no país asiático, citado pela agência Reuters.

    "A China tem importado uma grande quantidade de carne este ano, e tem detectado muitas vezes vírus nas embalagens de produtos da cadeia de frio, mesmo com muita desinfecção, que tem sido realizada internamente", disse Gao Guan, porta-voz da Associação da Carne da China.

    Gao ressaltou que a declaração veio em resposta a exportadores, incluindo a JBS, empresa brasileira processadora de carne, após terem tomado medidas de desinfecção extensiva de produtos e locais de armazenamento com fumigação, por exemplo. Apesar de tudo, a China solicitou recentemente que o Brasil intensificasse o processo.

    Ele também acrescentou que os custos totais e a eficiência seriam inferiores se o processo fosse realizado diretamente nas fábricas ou nos pontos de partida da mercadoria. A organização recomendou vistoriar tanto o interior como o exterior dos contêineres antes de serem selados para exportação, de forma a "garantir a segurança dos alimentos importados da cadeia de frio e aumentar a confiança dos consumidores nos produtos importados dessa cadeia".

    O contato com embalagens contaminadas pode levar a infecções em humanos, de acordo com a Associação da Carne da China.

    "O vírus é novo. Ainda estamos acumulando experiência quando lutamos contra ele", disse Gao Guan.

    "Devemos nos reunir e discutir como usar a maneira mais científica, eficiente e de baixo custo para garantir a saúde pública e, ao mesmo tempo, o comércio", apontou.

    Desde setembro, a Alemanha tem suas exportações de carne suína banidas na China em consequência de um surto de febre suína africana. A Dinamarca, que junto à Espanha, é uma das maiores exportadoras de carne à China, está em diálogo com o país asiático sobre as opções de entrega.

    Mais:

    Jornal chinês volta a sugerir que SARS-CoV-2 chegou a Wuhan em comida congelada de outros países
    Embalagens com COVID-19 de Brasil e mais países causam debate sobre surto ter começado fora da China
    China detecta coronavírus em embalagens de carne do Brasil
    China detecta SARS-CoV-2 em carregamento de carne argentina
    Tags:
    Espanha, Dinamarca, Alemanha, Brasil, JBS, Reuters, COVID-19, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar