06:58 14 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    101
    Nos siga no

    A ilha Fraser sofre com a onda de calor que atinge todo o país, na que é considerada a primavera mais quente já registrada. Em Sydney, a temperatura chegou a 40 graus e o verão nem sequer começou.

    Os bombeiros na Austrália lutam contra um enorme incêndio que está fora de controle há seis semanas no popular ponto turístico da Ilha Fraser, enquanto partes do leste do país atravessam uma onda de calor que bate recordes após o mês de novembro mais quente já registrado, informou a rede de TV a cabo CNN.

    Turistas e funcionários da UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura - foram forçados a evacuar à medida que o fogo cerca as atrações locais e as florestas da ilha são sufocadas pela fumaça.

    Na manhã desta terça-feira (1º), os serviços de incêndio e emergência no estado de Queensland emitiram um aviso de retirada já que há incêndios em vários locais.

    As equipes usaram bombas de água para retardar o fogo, mas os bombeiros advertiram que as condições poderiam piorar.

    "As equipes de bombeiros estão trabalhando para conter o fogo, mas eles podem não ser capazes de proteger todos os bens. Você não deve esperar um bombeiro à sua porta", disse a diretriz dos serviços de emergência de Queensland.

    O Departamento de Meteorologia do estado relatou que o perigo de incêndio provavelmente será maior por causa de ventos fortes e condições extremas de ondas de calor que estão previstas para continuar no estado nos próximos dias.

    Fogueira ilegal

    O incêndio na Ilha Fraser foi provocado por uma fogueira ilegal. Em seis semanas, ele destruiu o equivalente a 760 mil quilômetros quadrados de terra de arbusto seco com ossos.

    Também conhecida por seu nome aborígene K'gari, a ilha foi tombada como Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1992 por suas florestas e beleza natural únicas. É a maior ilha de areia do mundo e tem a única floresta tropical alta que cresce na areia.

    Mas a composição da ilha estava dificultando o trabalho para as mais de 30 equipes que combatiam o incêndio lá, disse o corpo de bombeiros de Queensland.

    O controlador de incidentes James Haig postou nas redes sociais uma mensagem de vídeo dizendo que "as condições são muito desafiadoras", mas os bombeiros estavam fazendo seu "melhor" para tentar mitigar os danos causados por um incêndio tão grande.

    O Serviço de Queensland de Incêndios e Emergências e o Serviço de Parques e Vida Selvagem de Queensland continuam as operações de combate ao fogo na Ilha Fraser (K'gari).

    Ontem, em duas horas e meia, três aviões Fireboss de asas fixas, despejaram 84 cargas de água salgada nos arbustos. 

    Isso significa 250.000 litros ou uma queda de 3.000 litros por aeronave a cada cinco minutos.

    Calor de verão na primavera

    As temperaturas ultrapassaram os 40° C  em Sydney no sábado (28). Enquanto isso, faixas do oeste da Nova Gales do Sul, no sul da Austrália e do norte do também estado de Victoria estavam ainda mais altas, próximas a 45° C.

    Sydney experimentou a noite mais quente de novembro no sábado (28) com uma temperatura mínima noturna de 25,3° C seguida por um segundo dia consecutivo de mais de 40° C no domingo (29).

    O Departamento de Meteorologia disse nesta terça-feira (1º) que esta primavera foi um recorde de calor da Austrália.

    Os incêndios são comuns em toda a Austrália, mas as condições têm se tornado cada vez mais perigosas nos últimos anos. O país vem ficando mais quente e seco há décadas e tem havido um declínio a longo prazo na precipitação no sul do país.

    O ano passado foi o mais quente da Austrália. E todos os sete anos de 2013 a 2019 foram considerados os mais quentes da história na ilha.

    Mais:

    Incêndio mata 5 em hospital para pacientes com COVID-19 na Índia
    Explosão causa incêndio em usina no Irã (VÍDEO)
    Aeronave do Ibama que combatia incêndios no Pantanal cai e piloto morre em MT
    Tags:
    Victoria, Nova Gales do Sul, Sydney, Austrália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar