21:41 19 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    316
    Nos siga no

    O país também referiu dezenas de feridos no bombardeio à cidade azeri. Azerbaijão acusa a Armênia de ataques a suas cidades, bem como ao território de Nagorno-Karabakh, reivindicado por Baku.

    Socorristas removeram 13 corpos dos escombros após um ataque de mísseis à cidade azeri de Ganja.

    "Os socorristas removeram de debaixo dos escombros os corpos de 13 pessoas. Foram feridas 52 pessoas", disse o Ministério de Situações de Emergência do Azerbaijão à Sputnik.

    "Este é um crime de guerra, um crime contra a humanidade. Se a comunidade internacional não quiser puni-los, nós puniremos os culpados. Vamos puni-los no campo de batalha, vamos dar uma resposta", declarou Ilham Aliev, presidente do Azerbaijão, em um discurso para o povo.

    Baku anteriormente referiu ataques com mísseis a Ganja e Mingechevir, algo negado pela assessora de imprensa do Ministério da Defesa da Armênia, Shushan Stepanyan.

    Bombardeio de Nagorno-Karabakh

    O Exército de Defesa da república não reconhecida de Nagorno-Karabakh disse no sábado (17) que no início da manhã as cidades locais de Stepanakert e Shushi foram sujeitas a fogo de mísseis e artilharia.

    "Durante a noite, na linha de contato Artsakh-Azerbaijão manteve-se uma tensão estável. Não foram registradas mudanças significativas na situação tático-operacional. Ao amanhecer, as forças inimigas, mais uma vez quebrando as tréguas humanitárias, retomaram os ataques com mísseis e artilharia contra povoações pacíficas. Os ataques mais intensos foram contra as infraestruturas urbanas de Stepanakert e Shushi", disse a organização no Facebook.

    "No momento, as unidades do Exército de Defesa controlam a situação operacional na linha de combate", diz o relato.

    Equipes socorristas trabalham em local da explosão atingido por um míssil durante a luta pela região de Nagorno-Karabakh, na cidade de Ganja, Azerbaijão, 17 de outubro de 2020
    © REUTERS / Umit Bektas
    Socorristas procurando pessoas em escombros de Ganja, Azerbaijão, 17 de outubro de 2020

    Na manhã de sábado (17), o Ministério da Defesa do Azerbaijão anunciou também que as Forças Armadas da Armênia dispararam contra povoações em Nagorno-Karabakh.

    O conflito de Nagorno-Karabakh, iniciado em 1988, recomeçou em 27 de setembro, com Armênia e Azerbaijão se acusando mutuamente de desencadear operações militares. Um cessar-fogo negociado em 9 de outubro em Moscou, Rússia, entre os dois lados e previsto entrar em vigor no último sábado (10) foi violado pouco depois, segundo acusações mútuas de Erevan e Baku.

    Mais:

    Em nenhuma circunstância Azerbaijão aceitaria a independência do Nagorno-Karabakh, diz Aliev (VÍDEO)
    Baku diz ter destruído e apreendido armamento armênio avaliado em US$ 2 bilhões
    Erevan acusa Azerbaijão de atacar hospital em Nagorno-Karabakh
    Azerbaijão ameaça romper relações com países que reconhecerem independência de Nagorno-Karabakh
    Tags:
    Facebook, Forças Armadas, Ministério da Defesa da Armênia, Ministério da Defesa, Nagorno-Karabakh, Sputnik, Azerbaijão, Armênia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar