15:16 29 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3145
    Nos siga no

    Ministério da Defesa do Azerbaijão afirmou que sua república autônoma de Nakhichevan foi alvo de ataque de foguetes lançado por militares armênios.

    O ataque com foguetes teria ocorrido ontem (15) às 10h44 (3h44 no horário de Brasília) a partir do território de Gubadlinsky, que, segundo a Defesa azeri, é ocupado por forças armênias.

    Imagens divulgadas no Twitter e em publicação do Ministério da Defesa do Azerbaijão mostram o que seriam estilhaços de foguetes.

    Esperamos informação oficial do Ministério da Defesa do Azerbaijão [mais tarde a Defesa azeri confirmou a veracidade das imagens e da informação]

    Ainda segundo o Azerbaijão, o suposto ataque armênio não provocou feridos ou danos materiais. Por sua vez, a Armênia negou ter lançado tal ataque. 

    Conflito em Nagorno-Karabakh

    Desde 27 de setembro deste ano, a região de Nagorno-Karabakh tem sido alvo de confrontos entre forças da autoproclamada república, tropas armênias e forças do Azerbaijão.

    Ontem, em entrevista ao diretor-geral da agência Rossiya Segodnya, Dmitry Kiselev, o presidente azeri, Ilham Aliev, disse que seu país não aceitará a independência de Nagorno-Karabakh, cuja maioria da população é armênia.

    Por sua vez, a Armênia, nas palavras de seu primeiro-ministro Nikol Pashinyan, defende a autodeterminação do povo do território em litígio.

    Os combates têm continuado após um cessar-fogo ter entrado em vigor no último dia 10, depois de ser aprovado por ambas as partes na véspera (9).

    Ambos os lados trocam acusações mútuas de violarem o cessar-fogo.

    Mais:

    Líder da Armênia é um produto de George Soros, afirma presidente do Azerbaijão à Sputnik (VÍDEO)
    Armênia anuncia abate de caça Su-25 do Azerbaijão em Nagorno-Karabakh
    Chanceler turco acusa Armênia de cometer crimes de guerra
    Tags:
    ataque, Azerbaijão, Armênia, foguetes, conflito, Nagorno-Karabakh
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar