04:49 25 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1511
    Nos siga no

    A Força Aérea dos EUA enviou recentemente bombardeiros B-1B e drones espiões Global Hawk para o mar do Sul da China, como parte de uma estratégia amplificada de apoio a missões de vigilância e dissuasão na região, após aumento de tensões com a China.

    Bombardeiros estratégicos B-1B saíram de base aérea norte-americana em Guam em apoio ao Comando Indo-Pacífico e, segundo um relatório da Força Aérea dos Estados Unidos, foram enviados especificamente para realizar missões no mar do Sul da China.

    Ao mesmo tempo, a Força Aérea dos EUA transferiu drones de reconhecimento RQ-4 Global Hawk para a Base Aérea de Yokota, no Japão, sendo mais um passo para reforçar a presença operacional dos EUA na região, escreve Fox News.

    As missões em questão são provavelmente realizadas em meio a informações de que a China tem conduzido exercícios com dois porta-aviões no mar do Sul da China.

    Os veículos não tripulados de reconhecimento RQ-4 Global Hawk foram transferidos da Base Aérea de Andersen dos EUA, localizada no território de Guam, no oceano Pacífico, à Base Aérea de Yokota, no Japão.

    No início desta semana, Washington enviou dois porta-aviões, USS Ronald Reagan e USS Nimitz, para realizar missões no Pacífico Ocidental.

    Mais:

    Exército do Paquistão alega ter abatido drone 'espião' indiano (FOTO)
    Novo drone furtivo russo Okhotnik deve ser motivo de preocupação para EUA, opina revista americana
    Novo drone da Força Aérea dos EUA poderá voar e combater de forma autônoma, revela mídia
    Tags:
    Japão, tensão bilateral, Mar do Sul da China, China, EUA, base aérea, drone, voo de reconhecimento, RQ-4 Global Hawk
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar