16:58 25 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Militares filipinos na cidade de Marawi

    Presidente das Filipinas anuncia libertação de Marawi dos terroristas

    © AP Photo / Aaron Favila
    Ásia e Oceania
    URL curta
    250

    O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, anunciou a plena libertação da cidade de Marawi dos terroristas ligados ao Daesh (organização terrorista proibida na Rússia).

    "Anuncio oficialmente a libertação de Marawi", declarou o presidente, citado pelo o canal de televisão CNN Philippines.

    Duterte fez essa declaração um dia após o ministro filipino da Defesa, Delfin Lorenzana, confirmar a morte de Omar Maute e Isnilon Hapilon, líderes dos grupos jihadistas Maute e Abu Sayyaf, que atacaram Marawi no fim de maio passado. 

    O porta-voz das Forças Armadas das Filipinas, Restituto Padilla, comunicou que em Marawi ainda há cerca de 30 combatentes islamistas que estariam fazendo 20 pessoas de reféns.

    "Para as forças terrestres, a luta continua", disse ele.

    Em 4 de julho, a Corte Suprema das Filipinas validou a lei marcial na maior ilha do arquipélago, Mindanao. A decisão foi tomada devido ao ataque terrorista em Marawi.

    A cidade foi atacada em 23 de maio pelo grupo terrorista islâmico Maute. Praticamente, todos os 200 mil habitantes de Marawi fugiram ou foram evacuados. O ataque foi responsável pela morte de ao menos 460 pessoas, dentre eles 337 terroristas, 85 militares e 39 civis.

    O grupo Maute pretende separar Marawi do resto do país para estabelecer uma província do Daesh, organização terrorista proibida na Rússia e em muitos outros países.

    Mais:

    Duterte faz nova advertência aos EUA mas chama Trump de 'amigo'
    Duterte afirma estar pronto para 'comer' terrorista se lhe derem sal e vinagre
    Tags:
    terrorismo, Maute, Daesh, Rodrigo Duterte, Filipinas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar