13:25 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Secretário-geral da ONU Ban Ki-moon

    'Se Ban Ki-moon virar presidente da Coreia do Sul após deixar ONU, vai ter guerra'

    © AP Photo / Martin Mejia
    Ásia e Oceania
    URL curta
    8100
    Nos siga no

    O maior jornal norte-coreano, Rodong Sinmun, fez um alerta ao afirmar que o risco de guerra na península da Coreia aumentará caso o ex-secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, chegue ao poder.

    Na quarta-feira (11), o Rodong Sinmun, órgão do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia, publicou uma série de comentários sobre a volta do ex-secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, de Nova York para Seul e sua possível candidatura à presidência do país depois do impeachment da chefe de Estado, Park Geun-hye.

    Segundo o jornal, a situação é marcada pela presença dos EUA, que tentam "mais uma vez introduzir na Coreia do Sul autoridades conservadores pró-americanas, no poder Park Geun-hye número dois, para pôr em prática sua estratégia intervencionista e impor seu domínio na Ásia".

    "Se Ban Ki-moon ocupar a presidência, as chances de melhorar as relações — arruinadas pela traidora Park Geun-hye — entre o Norte a o Sul se perderão para sempre, enquanto o perigo de guerra nuclear apenas aumentará", afirma o jornal.

    Há muito tempo, a Coreia do Norte vem tentando quitar dívidas com Ban Ki-moon, que ocupou o cargo de secretário-geral da ONU na mesma época em que a comunidade internacional aprovou inúmeras sanções contra Pyongyang por se opor a cessar pesquisas nucleares e de misseis.

    A Coreia do Norte defende seu direito a realização de qualquer método de defesa como instrumento de proteção contra a ameaça militar dos EUA, país que, de acordo com a mídia, está criando, juntamente com a Coreia do Sul, forças especiais para eliminar a chefia norte-coreana e seu líder, Kim Jong-un em caso de guerra. Porém, vale ressaltar que a Coreia do Norte considerou o plano de conquista da residência presidencial em Seul.

    A questão sobre a provável candidatura de Ban Ki-moon ao cargo de presidente do país surgiu em meio da destituição da ex-líder sul-coreana devido ao escândalo envolvendo sua amiga.

    Apesar de tudo, o próprio Ban Ki-moon nunca manifestou oficialmente o desejo de se tornar o presidente da Coreia do Sul, mas declarou várias vezes seu desejo de servir a nação.

    Uma das resoluções da Assembleia Geral da ONU recomenda que ex-secretários da ONU não ocupem altos postos governamentais.

    Mais:

    Seul: Coreia do Norte não tem capacidade para produzir míssil intercontinental
    Opinião: 'Rússia pode ajudar a resolver caos na Coreia do Sul'
    Trump diz que não permitirá que Coreia do Norte desenvolva armas nucleares
    Tags:
    agravamento, ameaça militar, conflito congelado, armas nucleares, ONU, Kim Jong-un, Park Geun-hye, Ban Ki-moon, EUA, Coreia do Norte, Península Coreana
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar