08:26 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Soldados do Exército de Libertação Popular da China

    Especialista: exército chinês se moderniza de maneira abrangente

    © AFP 2017/ ISAAC LAWRENCE
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5182

    O presidente chinês, Xi Jinping, ressaltou que há necessidade de reforçar o planejamento estratégico e controlar com maior eficácia a modernização da retaguarda do Exército de Libertação Popular da China.

    O anúncio foi feito pelo líder chinês durante uma reunião do Comitê Militar Central, dedicada à logística que decorreu em Pequim.

    Em entrevista à Sputnik China, Vasily Kashin, especialista russo em assuntos militares, informou que a modernização do apoio de retaguarda é uma parte importante da reforma militar realizada na China que foi lançada no final de 2015 e já levou a grandes mudanças na estrutura das Forças Armadas do país.

    Xi Jinping destacou que "um estado forte e um exército forte requerem uma retaguarda forte" e defendeu o desenvolvimento e a modernização do apoio de retaguarda conforme as exigências em condições de ações militares.

    A reforma militar promete ser um processo demorado, cujos resultados serão percebidos somente em 2020, aproximadamente.

    Kashin traça analogia entre a reforma militar chinesa e a reforma russa de 2008. Segundo ele, ambas elas representam uma tentativa de mudança drástica e de criação das Forças Armadas mais compactas e muito melhor preparadas, capazes de realizar qualquer tipo de operação de maneira eficaz. Além disso, ambas as reformas são uma forma de confronto entre o atual governo e o sistema militar antigo.

    O especialista destaca que algumas alterações tiveram um caráter tão radical que precisaram ser revistas um ano depois de sua implementação. A reforma militar russa começou a mostrar resultados a partir de 2013. Foi criado um sistema eficiente de fornecimento militar que garante eficácia no rearmamento das tropas. Vale ressaltar que as ações militares das Forças Armadas russas, durante a operação militar na Síria, demonstraram alto profissionalismo e capacidade de resposta eficiente em conflitos locais. Destaca-se que o sucesso dessa operação dependeu muito da eficácia de apoio de retaguarda.

    Kashin opina que a reforma militar russa se encontra em estado semelhante à da China, nos anos de 2009-2010. Mas, diferentemente da Rússia, na China, o próprio chefe de Estado está envolvido diretamente na realização da reforma.

    Segundo preveem analistas, com as reformas poderão aparecer novas forças militares que serão capazes de cumprir missões abrangentes.

    Mais:

    WSJ: Rússia e China desafiam supremacia aérea militar dos EUA
    Guerra 'destrutiva': China desafia poder militar norte-americano
    Tags:
    logística, reforma, exército, modernização, Forças Armadas da Rússia, Xi Jinping, Síria, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik