01:42 23 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    564
    Nos siga no

    Um menino que estava nadando em um parque aquático no estado norte-americano do Texas ficou infectado com a meningoencefalite amebiana primária, uma doença bacteriana letal para o cérebro.

    Um menino morreu no estado de Texas, EUA, depois que ficou infectado com uma ameba letal para o cérebro em um parque aquático, informa na terça-feira (28) a emissora Fox News, citando as autoridades locais da cidade de Arlington.

    Arlington e o Departamento de Saúde Pública do condado de Tarrant, à qual a cidade pertence, foram notificados em 5 de setembro de que a criança foi hospitalizada com meningoencefalite amebiana primária.

    As autoridades de Arlington foram notificados nesse dia sobre o caso, levando ao encerramento dos parques aquáticos da cidade, incluindo o Parque Don Misenhimer, onde aconteceu a infecção fatal.

    Na sexta-feira (25), os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos EUA confirmaram a presença da ameba Naegleria fowleri na água do parque aquático.

    O menino, cuja identidade não foi revelada, morreu no hospital em 11 de setembro.

    Em 7 de agosto houve também um caso no estado norte-americano da Califórnia, onde um menino de sete anos contraiu uma Naegleria fowleri enquanto nadava em um lago.

    A infecção pela bactéria causa uma infecção que resulta na destruição do tecido cerebral. Conforme a doença progride, ela causa rigidez no pescoço, convulsões e até coma, e pode levar à morte em uma média de cinco dias. A ameba atinge o cérebro quando a água contaminada entra no corpo pelo nariz.

    Mais:

    Homem morre após ameba transformar seu cérebro em massa líquida (FOTO)
    Morre criança infectada por ameba 'comedora de cérebro' enquanto nadava em lago nos EUA
    Zumbi invisível: ameba devoradora de cérebro mata banhista nos EUA
    Tags:
    Texas, Califórnia, EUA, Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, CDC, Arlington, FOX News
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar