04:40 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    272
    Nos siga no

    Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, os focos de infecção "estão mudando", com uma tendência "estatisticamente significativa".

    No final de setembro, as autoridades ambientais dos EUA alertaram sobre a presença da ameba Naegleria fowleri no fornecimento de água de ao menos oito cidades do Sudeste do Texas.

    Agora, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês) assegura que a ameba, chamada "comedora de cérebros" por afetar o sistema nervoso, estaria migrando para regiões do país localizadas mais a norte.

    Jennifer Cope, médica do CDC, afirmou à revista Newsweek que os focos de infecção "estão mudando" e que se trata de uma tendência "estatisticamente significativa".

    O primeiro caso de infecção foi reportado em 2010 no estado de Minnesota, mas agora o micro-organismo está presente muito mais a norte.

    Parasita Naegleria fowleri
    © REUTERS / Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA
    Parasita Naegleria fowleri

    Segundo Cope, que trabalha na prevenção de doenças transmitidas pela água, a ameba prospera apenas em ambientes quentes de água doce. A mudança climática seria potencialmente um fator determinante que estaria facilitando sua propagação em áreas que antes não eram favoráveis.

    A maioria dos casos foi reportada no Texas e Flórida, mas também foram registrados casos no Indiana, Maryland, Missouri, Kansas e Novo México.

    "Não tenho dúvida de que, com a mudança climática e o aumento das temperaturas, teremos mais casos e maior exposição [à ameba]", declarou Dennis Kyle, professor de biologia celular da Universidade da Geórgia.

    Nos últimos meses, houve ao menos duas mortes associadas a este micro-organismo, no Texas e na Flórida. Em setembro, a Comissão de Qualidade Ambiental do Texas alertou sobre a possível contaminação e pediu aos habitantes de oito cidades que não bebessem água da torneira e não a usassem para banhos.

    Bactéria
    © CC BY 2.0 / Oak Ridge National Laboratory
    Bactéria

    A Naegleria fowleri habita principalmente em lagos e rios e é responsável por uma doença conhecida como meningoencefalite amebiana primária, uma infecção que provoca a destruição do tecido cerebral.

    Os sintomas iniciais incluem dores de cabeças intensas, náuseas e vômitos. Conforme a doença avança, ela provoca torcicolos, convulsões e coma, além de poder causar a morte em aproximadamente cinco dias.

    Este micro-organismo infecta as pessoas quando estas entram em contato com água contaminada. A ameba penetra através do nariz, a partir de onde se desloca até o cérebro.

    Geralmente afeta homens jovens e crianças, que possuem mais probabilidades de participar de atividades aquáticas, as quais elevam o risco de contágio.

    Mais:

    Espaço propenso à infecção: revelado onde é mais fácil contrair COVID-19
    Coronavírus na Europa: Noruega confirma 1ª infecção
    Médicos revelam outro possível sintoma de infecção por coronavírus
    Tags:
    água, EUA, doenças, doença, infecção, parasita
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar