23:29 05 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    111
    Nos siga no

    Ex-presidente dos EUA, Barack Obama condenou a violência em Atlanta e disse que os Estados Unidos negligenciaram a "epidemia de violência armada" no país.

    O ex-presidente Barack Obama pediu nesta quarta-feira (17) um controle mais rígido sobre a venda de armas de fogo nos EUA. Ele se pronunciou após o tiroteio em Atlanta, que deixou oito mortos.

    Em uma rede social, Obama escreveu que, apesar dos EUA lutarem contra a pandemia do coronavírus, "continuamos a negligenciar a epidemia de violência armada de longa duração na América".

    Mesmo enquanto lutamos contra a pandemia, continuamos a negligenciar a epidemia de violência armada de longa duração nos EUA. Embora o motivo do atirador ainda não esteja claro, a identidade das vítimas ressalta um aumento alarmante da violência anti-asiática que deve acabar.

    Em outra publicação, ele disse que "Michelle e eu oramos pelas vítimas, suas famílias, e todos os que sofrem por essas mortes desnecessárias e devastadoras".

    A polícia norte-americana, segundo informações da Fox News, disse que não acredita que a raça tenha desempenhado um papel neste episódio, porém, a possibilidade de um crime de ódio ainda não foi descartada.

    O suspeito, Robert Aaron Long, não resistiu durante sua prisão. Ele comprou a arma do crime horas antes de cometê-lo. Quando os investigadores o interrogaram, ele indicou que tem alguns "problemas de vício sexual, e pode ter frequentado alguns desses lugares no passado".

    Loja de venda de armas nos EUA
    © AP Photo / Ed Andrieski
    Loja de venda de armas nos EUA

    Mais:

    Obama se desaponta com eleitores hispânicos que votaram em Trump
    Jen Psaki de volta à Casa Branca: Biden nomeia ex-funcionária de Obama para Secretaria de Imprensa
    Trump encabeça pela 1ª vez ranking de admiração nos EUA, após Obama o ter feito 12 vezes
    Tags:
    EUA, Barack Obama, violência, violência sexual, violência urbana, armas de fogo, desarmamento, tiroteio, Atlanta
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar