18:37 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    142
    Nos siga no

    A rede Walmart, nos Estados Unidos, decidiu nesta semana remover de suas prateleiras revólveres, pistolas, fuzis e munição de diferentes calibres caso as lojas sejam invadidas durante o que chamaram de "distúrbios sociais".

    A rede de varejo, que vende armas de fogo em cerca de metade de suas 4.700 lojas espalhadas pelos EUA, disse que os clientes ainda podem comprar armas e munições mediante solicitação, mesmo que não estejam mais em exibição.

    "Vimos alguns distúrbios civis isolados e, como fizemos em várias ocasiões nos últimos anos, retiramos nossas armas de fogo e munições da área de vendas como precaução para a segurança de nossos associados e clientes", disse um porta-voz do Walmart, citado pelo jornal The Wall Street Journal.

    A empresa ainda não decidiu por quanto tempo os itens não serão exibidos nas prateleiras das lojas.

    Durante essa semana, a população da Filadélfia foi às ruas protestar depois que a polícia matou um homem negro segurando uma faca na cidade.

    Em uma carta enviada aos gerentes das lojas na quarta-feira (28), o Walmart pediu aos funcionários que retirassem as armas das prateleiras "devido à atual agitação em áreas isoladas do país e por excesso de cautela".

    A medida ocorre às vésperas da eleição dos Estados Unidos, marcada oficialmente para o dia 3 de novembro. Os norte-americanos vão às urnas decidir se preferem a reeleição do republicano Donald Trump ou se desejam que seu rival democrata, o ex-vice-presidente Joe Biden, comande o país.

    Mais:

    Eleições nos EUA: quem está por trás do escândalo sexual de Hunter Biden?
    Joe Biden antecipa voto faltando 6 dias para eleição dos EUA (FOTO)
    Bolsonaro diz que Brasil está importando soja dos EUA porque preços estão muito altos
    EUA condenam prisão de 3 estudantes em Hong Kong e pedem sua libertação imediata
    EUA batem recorde com mais de 91 mil novos casos de COVID-19 em 24 horas
    Tags:
    protestos violentos, protestos, distúrbios, armas de fogo, eleições, Eleições nos EUA, Estados Unidos, Walmart
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar