12:45 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    4217
    Nos siga no

    Líder republicano no Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes dos EUA, Michael McCaul, questiona por que entidades relacionadas ao gasoduto ainda não foram sancionadas.

    Um grupo de membros do Comitê de Relações Exteriores da Câmara norte-americana apelou ao secretário de Estado do país, Anthony Blinken, para impor novas sanções ao projeto do gasoduto Nord Stream 2 (Corrente Norte 2).

    Os legisladores republicanos expressaram profunda preocupação de que as "fortes declarações do governo Biden em oposição ao gasoduto não estejam sendo acompanhadas por ações igualmente fortes", escreveram na carta para Blinken, divulgada na segunda-feira (8).

    Os políticos também expressaram alarme sobre a relutância da Casa Branca em implementar as sanções "obrigatórias" ao Nord Stream 2 exigidas pela atual legislação dos EUA.

    "Parece que o governo está falando duramente enquanto se esconde atrás de um 'limite probatório' opaco para evitar a implementação total de sanções obrigatórias do Congresso, conforme exigido por lei", ressaltam os republicanos.

    Os congressistas acrescentaram que querem clareza "sobre por que numerosas entidades supostamente envolvidas em atividades sancionáveis ​​relacionadas ao maligno projeto do gasoduto russo Nord Stream 2 ainda não foram sancionadas".

    Navio-grua Akademik Chersky, apto a concluir a construção do gasoduto Nord Stream 2
    © Sputnik / Mikhail Golenkov
    Navio-grua Akademik Chersky, apto a concluir a construção do gasoduto Nord Stream 2

    Esta missiva, encabeçada pelo líder republicano no Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes dos EUA, Michael McCaul, é divulgada dias após um grupo de 40 senadores republicanos ter enviado ao presidente Joe Biden uma carta pedindo-lhe que impusesse sanções adicionais ao Nord Stream 2, alegando que o projeto viola as leis dos EUA e alertando que o tempo estava se esgotando para interromper a construção do gasoduto.

    "O fracasso do governo em identificar e impor novas sanções sinaliza sua disposição em permitir que o presidente Putin ganhe o controle do suprimento de gás da Europa e aumente sua influência geopolítica", lê-se na carta dos senadores.

    Sanções dos EUA contra Nord Stream 2

    O projeto Nord Stream 2 prevê a construção de duas linhas de um gasoduto com uma capacidade total de 55 bilhões de metros cúbicos de gás por ano da costa russa através do mar Báltico até a Alemanha. Até o momento, os EUA já impuseram duas rodadas de sanções ao Nord Stream 2.

    Essas sanções levaram a AllSeas, uma empreiteira de construção com sede na Suíça, a desistir do projeto, afirmando que as penalidades eram "esmagadoras e potencialmente fatais" contra a empresa.

    No mês passado, os ministros das Relações Exteriores da Polônia e da Ucrânia instaram o presidente dos EUA a fazer o possível para "pôr fim" ao projeto do gasoduto Nord Stream 2.

    A Alemanha tem rejeitado repetidamente a perspectiva de novas sanções extraterritoriais contra o projeto, chamando os esforços dos EUA e aliados nessa direção de uma "usurpação da soberania" e alertando que está coordenando de perto a questão com seus parceiros da União Europeia.

    Moscou, por sua vez, vê as sanções dos EUA contra o projeto como um exemplo de concorrência desleal destinada a aumentar as exportações americanas de gás natural liquefeito (GNL) para a Europa. A Rússia alertou repetidamente contra a politização do que considera um projeto puramente econômico.

    Mais:

    Deputado alemão chama de 'suicídio' possível rejeição ao gasoduto Nord Stream 2
    Empresa relatada por trabalhar no Nord Stream 2 afirma cumprir 'regulamento de sanções aplicadas'
    EUA impõem sanções a navio russo por Nord Stream 2; Moscou diz que concluirá gasoduto
    EUA coordenarão com aliados possíveis sanções contra Nord Stream 2
    Tags:
    Republicanos, Nord Stream 2, EUA, Rússia, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar