04:13 04 Março 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    3173
    Nos siga no

    Os Estados Unidos publicaram decreto que permite determinadas transações essenciais para operações de portos e aeroportos na Venezuela, informou o Departamento do Tesouro nesta terça-feira (2).

    O órgão modificou os termos de duas ordens executivas emitidas pelo ex-presidente dos EUA Donald Trump, que tinham como alvo ativos em poder do governo venezuelano, o presidente Nicolás Maduro e qualquer membro do Executivo ou relacionado ao chefe de Estado venezuelano. 

    De acordo com o decreto atual, assinado por Bradley Smith, diretor do Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros, "todas as transações e atividades envolvendo o governo da Venezuela" proibidas nas ordens anteriores, mas que são "normalmente secundárias e necessárias para o uso de portos e aeroportos na Venezuela", estão autorizadas. 

    Os EUA impõem sanções contra a Venezuela há muitos anos, mas intensificaram os embargos a partir de janeiro de 2019, após Maduro ser reeleito. O governo norte-americano considerou o pleito ilegal e reconheceu o opositor Juan Guaidó como presidente interino venezuelano. 

    Governo Biden reconhece Guaidó

    Em 5 de agosto de 2019, o então presidente Trump proibiu praticamente qualquer transação com a Venezuela sem uma licença específica. A política dos EUA em relação à Venezuela dificultou a aquisição de medicamentos para tratamento de doenças, o que dificultou o combate à pandemia do coronavírus.

    Apesar da medida tomada nesta terça-feira (2), o governo do democrata Joe Biden reconheceu Guaidó como presidente interino da Venezuela, embora ele não seja mais um membro da Assembleia Nacional.

    Mais:

    Presidente do Parlamento da Venezuela anuncia prisão de 'mercenário' da incursão militar falha
    Venezuela desmente rumores e mostra caças F-16 totalmente operacionais no país (VÍDEO)
    Após interceptar navios, Venezuela acusa Guiana de 'tentar fabricar um conflito na região'
    Tags:
    Juan Guaidó, pandemia, Joe Biden, Donald Trump, Nicolás Maduro, Departamento do Tesouro, EUA, sanções, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar