09:54 14 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1170
    Nos siga no

    Desde a adoção da lei antissanções, o governo venezuelano recebeu mais de 200 pedidos de investidores estrangeiros, afirmou o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

    "Recebemos mais de 200 pedidos de investimento ao abrigo da lei antissanções, de todos os países [...] É claro que a Rússia, China, Índia, Turquia e Irã vêm primeiro", afirmou Maduro.

    "Há investimentos privados em diversos setores da economia", ressaltou durante uma entrevista em sua página do Twitter.

    A lei contra o bloqueio do desenvolvimento constitucional e garantias dos direitos humanos, aprovada pelo parlamento do país em outubro de 2020, é destinada a dar à Venezuela um instrumento legal para enfrentar as restrições internacionais.

    De acordo com Maduro, a nova lei cria "condições notáveis" para o investimento estrangeiro. A lei não foi tornada pública por motivos de segurança nacional.

    Como resultado das sanções aplicadas pelos EUA de 2014 a 2020, a Venezuela perdeu 98,6% de toda a receita externa em divisas. As contribuições da empresa estatal de petróleo e gás PDVSA para o banco central do país diminuíram nos últimos 7 anos mais de 99%. Além disso, as sanções congelaram as contas do país na Europa e bloquearam os ativos e interesses da PDVSA na jurisdição dos EUA, tendo proibido todas as transações com eles.

    Mais:

    Maduro pede a Biden que retifique 'demonização' que EUA têm feito da Venezuela
    'Venezuela tenta aprofundar laços com o Brasil ao enviar oxigênio para Manaus', avalia especialista
    Venezuela denuncia apropriação ilegal de filial de sua petrolífera nos EUA
    Tags:
    investimentos estrangeiros, investimentos, sanções, Venezuela, Nicolás Maduro, presidente
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar