11:52 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo vs. COVID-19 no final de janeiro de 2021 (110)
    040
    Nos siga no

    Os testes, realizados com 44 mil voluntários, foram feitos em diversos países. O nível de eficácia foi menor na África do Sul, onde uma nova variante do coronavírus se espalhou recentemente.

    A Johnson & Johnson anunciou, nesta sexta-feira (29), que sua vacina de dose única tem eficácia de 66% na prevenção contra a COVID-19. De acordo com a empresa, os testes foram realizados em escala global e contra múltiplas variantes do novo coronavírus, noticiou a agência Reuters.

    O nível de eficácia contra casos moderados e graves sofreu variações dependendo do país. Nos Estados Unidos, por exemplo, foi verificada a proteção em 72% da amostra. Na América Latina, o valor foi de 66%. Já na África do Sul, onde uma nova variante se espalhou recentemente, o número caiu para 57%.

    No total, os testes contaram com 44 mil voluntários.

    Joseph Zalman Kleinman, 92, sobrevivente do Holocausto, gesticula para o braço que prefere receber a segunda dose da vacina Pfizer para COVID-19, no centro de vacinação Clalit Health Services em uma arena esportiva em Jerusalém, quinta-feira, 21 de janeiro 2021.
    © AP Photo / Maya Alleruzzo
    Joseph Zalman Kleinman, 92, sobrevivente do Holocausto, gesticula para o braço que prefere receber a segunda dose da vacina Pfizer para COVID-19, no centro de vacinação Clalit Health Services em uma arena esportiva em Jerusalém, quinta-feira, 21 de janeiro 2021

    Outros imunizantes, como os da Pfizer/BioNTech e da Moderna, tiveram números de eficácia mais elevados, porém seus testes foram feitos principalmente nos Estados Unidos e antes do surgimento de novas variantes.

    Enquanto a vacina da Pfizer/BioNTech demonstrou proteção de 95%, a da Moderna atingiu 94,1% do total. Ambas são administradas em duas doses.

    Tema:
    Mundo vs. COVID-19 no final de janeiro de 2021 (110)

    Mais:

    COVID-19: suspensão de voos entre Portugal e Brasil já causa transtornos; veja histórias
    'Expectativa favorável': STF pode aprovar uso da vacina Sputnik V no Brasil
    Agência Europeia de Medicamentos aprova uso da vacina AstraZeneca
    Tags:
    vacina, vacinação, Johnson & Johnson, novo coronavírus, COVID-19, imunizante, Estados Unidos, saúde
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar