00:43 13 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    349
    Nos siga no

    Antony Blinken, secretário de Estado dos EUA, disse nesta quarta-feira (27) que os Estados Unidos cumprirão seus compromissos no acordo nuclear com o Irã somente depois que os líderes em Teerã o fizerem.

    Em seu primeiro pronunciamento como principal diplomata dos EUA, Blinken destacou que a diplomacia com o governo iraniano se tornará um dos desafios de política externa mais carregados do governo Biden.

    Ele enfatizou que o Irã precisa agir primeiro e qualquer retorno dos EUA ao acordo nuclear pode demorar um pouco. Ele não definiu um cronograma para a redução das sanções nos Estados Unidos, nem mesmo a retomada das vendas de petróleo iraniano.

    Técnicos iranianos trabalham em uma instalação de produção de combustível de urânio para um reator nuclear (foto de arquivo)
    © AP Photo / Vahid Salemi
    Técnicos iranianos trabalham em uma instalação de produção de combustível de urânio para um reator nuclear (foto de arquivo)

    "Estamos muito longe desse ponto. O Irã está descumprindo o tratado em várias frentes, e levará algum tempo, caso tome uma decisão, para voltar ao cumprimento, e tempo para avaliarmos se está cumprindo suas obrigações", disse Blinken aos repórteres.

    O secretário de Estado observou que Joe Biden se comprometeu a retomar as obrigações dos Estados Unidos sob o acordo nuclear, que foi descartado pelo ex-presidente Donald Trump, se o Irã voltar a cumpri-lo integralmente.

    "Então usaríamos isso como uma plataforma para construir com nossos aliados e parceiros o que chamamos de um acordo mais longo e mais forte, para lidar com uma série de outras questões que são profundamente problemáticas no relacionamento com o Irã", concluiu o secretário de Estado.

    ​A questão do Afeganistão

    Sobre a questão do processo de paz no Afeganistão, o secretário de Estado norte-americano afirmou que Zalmay Khalilzad foi oferecido para permanecer em sua qualidade de representante especial dos Estados Unidos para a reconciliação do Afeganistão no governo Biden.

    Blinken também disse que os acordos que os Estados Unidos chegaram há um ano com o movimento de oposição do Talibã (organização terrorista proibida na Rússia) estão atualmente sendo estudados pelo novo governo Biden.

    "Uma das coisas que precisamos entender é exatamente o que está nos acordos que alcançamos entre os Estados Unidos e o Talibã para ter certeza de que entendemos totalmente os compromissos que o Talibã assumiu, bem como quaisquer compromissos que assumimos", concluiu.

    Cerimônia de transporte do caixão de um militar norte-americano morto no Afeganistão, em 14 de fevereiro de 2020
    © AP Photo / Steve Ruark
    Cerimônia de transporte do caixão de um militar norte-americano morto no Afeganistão, em 14 de fevereiro de 2020

    Mais:

    COVID-19: cismado com imunizantes dos EUA, Irã vai usar vacinas de Rússia, China, Índia e a nacional
    Relação entre Coreia do Norte e EUA pode 'mudar significativamente', diz analista
    Tesouro dos EUA altera proibição de investimentos em empresas chinesas com 'ligações militares'
    Tags:
    acordo nuclear, pacto nuclear, risco nuclear, Irã, EUA, EUA no Iraque, secretário de Estado
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar