16:23 15 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    421
    Nos siga no

    Presidente dos EUA estaria "farto" do advogado da Casa Branca e decepcionado com a falta de apoio do vice-presidente em relação a reivindicações de fraude eleitoral.

    Donald Trump está considerando demitir o advogado da Casa Branca, Pat Cipollone, revelou nesta terça-feira (22) o portal Axios. O presidente dos EUA também estaria dirigindo sua fúria com os resultados eleitorais de 3 de novembro, quando perdeu a reeleição, a alguns de seus aliados mais próximos, incluindo o vice-presidente Mike Pence.

    Em Charlotte, no estado norte-americano da Carolina do Norte, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, posa ao lado do vice-presidente Mike Pence, durante a convenção partidária republicana, em 24 de agosto de 2020
    © AP Photo / Andrew Harnik
    Em Charlotte, no estado norte-americano da Carolina do Norte, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, posa ao lado do vice-presidente Mike Pence, durante a convenção partidária republicana, em 24 de agosto de 2020
    O presidente norte-americano está "atacando" os funcionários da Casa Branca por não terem apoiado ativamente suas propostas para anular os resultados eleitorais e "está se voltando amargamente para praticamente todas as pessoas ao seu redor", incluindo Pence e Cipollone, afirmaram funcionários de alto escalão à mídia.

    Cipollone teme especialmente ser despedido por Trump por não parecer leal o suficiente, sugerem as fontes. Em relação a Pence, Trump estaria ficando cada vez mais frustrado com seu outrora dedicado funcionário por não mostrar apoio suficiente para suas alegações de fraude eleitoral. As fontes garantem que se Pence, enquanto presidente do Senado, validar os resultados das eleições durante uma sessão conjunta do Congresso em 6 de janeiro, isso significará a "traição definitiva" para Trump.

    A lista de outros alvos de alto cargo atualmente desfavorecidos pelo presidente supostamente inclui o secretário de Estado, Mike Pompeo, o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, e o líder da maioria republicana no Senado Mitch McConnell, que foi um dos primeiros republicanos a parabenizar Joe Biden por sua vitória nas eleições.

    Mas a mídia afirma que o prêmio para o "pior emprego em Washington" deve ser concedido a Jeffrey Rosen, que deve assumir como procurador-geral interino dos EUA após o cargo ser vago por William Barr em 23 de dezembro.

    Donald Trump, presidente dos EUA, e William Barr, procurador-geral, participam de cerimônia em Washington, EUA, 15 de maio de 2019
    © REUTERS / Carlos Barria
    Donald Trump, presidente dos EUA, e William Barr, procurador-geral, participam de cerimônia em Washington, EUA, 15 de maio de 2019
    "O consenso é que ele [Rosen] não tem a menor ideia da loucura em que ele está entrando", diz o portal Axios.

    Trump afirma que ganhou a eleição de novembro, citando fraude eleitoral e adulteração de urnas. Sua campanha entrou com vários processos para contestar os resultados das eleições, mas em 14 de dezembro o Colégio Eleitoral formalizou a vitória do democrata Joe Biden: 302 votos eleitorais contra 232 recebidos por Trump.

    Mais:

    Trump anuncia aprovação de vacina da Moderna contra COVID-19
    Trump questiona acusações que Rússia estaria por trás de ataques cibernéticos contra os EUA
    Ataques cibernéticos: Trump quer 'manchar a imagem da China', afirma porta-voz chinês
    Milhares de apoiadores planejam '2ª tomada de posse' virtual de Trump
    Tags:
    Pat Cipollone, Joe Biden, EUA, Mike Pence, eleições nos EUA, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar