21:29 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    559
    Nos siga no

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (27) que o democrata Joe Biden só poderá "entrar" na Casa Branca se provar que seus votos não foram "fraudulentos". 

    O republicano afirmou ainda, sem apresentar provas, que tinha ocorrido grandes irregularidades nas votações de Detroit, Atlanta, Filadélfia e Milwaukee. 

    ​Biden só pode entrar na Casa Branca como presidente se puder provar que seus ridículos '80 milhões de votos' não foram obtidos de forma fraudulenta ou ilegal. Quando você vê o que aconteceu em Detroit, Atlanta, Filadélfia e Milwaukee, uma grande fraude eleitoral, temos um grande problema sem solução!

    O Twitter marcou a publicação como "contestada".

    Na quinta-feira (26), o republicano deu declaração um pouco mais amena e admitiu que deixaria o cargo caso o Colégio Eleitoral certifique o seu rival democrata como vencedor das eleições presidenciais de 3 de novembro. Por outro lado, disse que se Biden fosse anunciado como vitorioso, isso seria um "erro". 

    Estados onde a disputa foi acirrada e com pouco diferença de votos, como Geórgia, Pensilvânia e Michigan, decisivas para a vitória de Biden, já certificaram o resultado da apuração. 

    Trump admitiu transição

    Na segunda-feira (23), a Administração de Serviços Gerais (GSA, na sigla em inglês), agência encarregada de autorizar o início do processo de transição nos Estados Unidos, informou à equipe de Biden que a transição de poder poderia começar oficialmente.

    A informação foi publicada pelo próprio Trump no Twitter. Ele recomendou que seja "feito o que precisa ser feito" em relação "aos protocolos iniciais" da transição.

    O democrata obteve 80.063.589 de votos, conquistando 306 delegados no Colégio Eleitoral, enquanto Trump conseguiu 73.904.195 de votos, alcançando 232 delegados. 

    Mais:

    Grupo de transição de Biden iniciará conversas sobre COVID-19 com equipe de Trump
    Exército israelense se prepara para possibilidade de Trump atacar Irã, segundo mídia
    Obama se desaponta com eleitores hispânicos que votaram em Trump
    Tags:
    Geórgia, Pensilvânia, Michigan, fraude, Casa Branca, eleições, Donald Trump, Joe Biden, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar