07:16 17 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1213
    Nos siga no

    O presidente dos EUA, Donald Trump, disse neste sábado (5) que o retorno dos Estados Unidos ao Acordo de Paris daria à Rússia e à China uma vantagem sobre os Estados Unidos.

    O Acordo de Paris foi assinado por mais de 190 países em dezembro de 2015, estabelecendo um plano de ação global para conter o aquecimento global.

    "Pagaremos trilhões e trilhões de dólares. A Rússia tem uma grande vantagem sobre nós, eles começaram desde os tempos antigos, quando o ar estava muito poluído, era o padrão deles. A China não começa a participar até 2030. E nós começamos imediatamente. Pensem em quanto dinheiro custará", disse Trump a apoiadores na Geórgia.

    Donald Trump reivindicou que se os EUA aderissem novamente ao Acordo de Paris, 20% das fábricas do país teriam que fechar.

    O Acordo de Paris não implica uma eliminação completa dos combustíveis fósseis. No entanto, todas as partes devem tomar medidas para reduzir as emissões, reequipamento tecnológico e adaptação às mudanças climáticas.

    O presidente dos EUA anunciou em junho de 2017 a retirada do país do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas. Em 4 de novembro deste ano, o país oficializou sua saída.

    Mais:

    Irlanda ameaça não ratificar acordo Mercosul-UE se Brasil não parar queimadas
    Especialista: Brasil cumpre e ao mesmo tempo se afasta do Acordo de Paris
    Bolsonaro chega para Assembleia da ONU e Brasil se diz 'comprometido' com Acordo de Paris
    Um século, 2 graus, 100 bilhões de dólares: o que é o Acordo de Paris?
    Tags:
    Acordo de Paris, China, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar