20:34 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de novembro (90)
    0 22
    Nos siga no

    O Governo do México manterá sua estratégia de saúde contra a COVID-19, sem medidas obrigatórias ou restrições contra a doença, que já deixou mais de 100 mil mortes e um milhão de infectados no país.

    "Não se leva em conta que herdamos um sistema de saúde totalmente destruído e que em muito pouco tempo criamos uma infraestrutura de saúde para cuidar dos doentes, tomando as medidas certas para que as pessoas pudessem se cuidar em casa", disse nesta sexta-feira (20) o presidente Andrés Manuel López Obrador em sua coletiva de imprensa diária.

    O chefe de Governo mexicano defendeu as ações realizadas e os responsáveis ​​pelo Ministério da Saúde federal, após questionamento sobre a possibilidade de mudanças nas políticas de saúde para o combate à pandemia, em que o número total de infecções confirmadas é de 1.019.543, segundo o relatório oficial diário apresentado na noite desta quinta-feira (19).

    Paciente infectado pela COVID-19 em leito de UTI no hospital Albert Einstein, São Paulo, 16 de novembro de 2020
    © AFP 2020 / Nelson Almeida
    Paciente infectado pela COVID-19 em leito de UTI no hospital Albert Einstein, São Paulo, 16 de novembro de 2020
    "O que foi feito é o que acreditamos ter dado resultados, o que aconteceu é muito lamentável", continuou o presidente, para em seguida rejeitar as críticas da oposição e da imprensa nacional e estrangeira: "Os conservadores, nossos adversários, desde o início quiseram usar a desgraça do povo mexicano por causa desta pandemia para nos culpar, é evidente", disse López Obrador.
    Rosalba, filha de Natalia que morreu em agosto de COVID-19 aos 86 anos, visita túmulo da mãe, enquanto o México supera 100 mil mortes pelo vírus
    © REUTERS / EDGARD GARRIDO
    Rosalba, filha de Natalia que morreu em agosto de COVID-19 aos 86 anos, visita túmulo da mãe, enquanto o México supera 100 mil mortes pelo vírus

    O México é o quarto país do mundo com mais mortes pela COVID-19, atrás de Estados Unidos, Brasil e Índia, mas a nova infecção respiratória já é a quarta maior causa de morte, atrás de doenças cardíacas, diabetes e tumores.

    Em relação ao tamanho de sua população, está em 15º lugar em infecções e em décimo em óbitos por cada 100 mil habitantes.

    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de novembro (90)

    Mais:

    COVID-19: mantendo o ritmo atual, Brasil só cumprirá meta de testes em 2022
    COVID-19 escancara racismo no Brasil e candidaturas negras são esperança, diz pesquisador
    Britânico perde visão e fica paralisado após ser picado por cobra enquanto se recuperava de COVID-19
    México confirma 1º caso de COVID-19 e H1N1 no mesmo paciente
    Presidente do México diz que não tem 'nenhuma diferença' com Joe Biden
    Tags:
    Poder Executivo, saúde, governo, pandemia, COVID-19, México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar